Conecte-se conosco

Apresentador de TV diz que sua fé em Jesus molda toda a sua vida

Publicado

em

Dan Walker – Foto: Reprodução/Facebook

O jornalista Dan Walker se abriu sobre sua fé em Jesus Cristo e o papel significativo que desempenha na formação de como ele vive sua vida.

Publicidade

O apresentador da BBC Breakfast é cristão comprometido e sempre foi muito aberto quanto à sua fé. Em comentários anteriores à imprensa, ele deixou claro que não trabalhará aos domingos, pois suas crenças são mais importantes do que seu trabalho.

 

Publicidade

Leia Mais:

+Ex-traficante encontra liberdade atrás das grades através de Jesus Cristo

+Atleta diz que venceu a pornografia, após se batizar “Jesus me trouxe de volta”

+Com tumor no útero, mulher se apega a fé em Deus e mantêm bebê até o nascimento

Publicidade

 

Em uma entrevista recente à Sorted Magazine, o apresentador do Football Focus explicou que sua fé desempenha um “papel muito significativo” em sua vida e molda seu comportamento.

– Não levo muito a sério a vida, exceto a minha fé e minha família. Acredito que se você tem uma fé forte em Jesus Cristo, isso deve fazer a diferença em como você vive sua vida. Ele informa quem eu sou e quem eu gostaria de ser, para onde vou, a maneira como falo, a maneira como ajo, esperanças, sonhos, aspirações etc. É uma parte significativa de todos os dias que vivo – Disse o apresentador de 43 anos.

Ele continuou dizendo que não pode imaginar sua vida sem Jesus, pois sua crença nele é onde ele encontra sua identidade e informa como ele se envolve com a sociedade.

– Se você é cristão, isso afeta suas decisões, seu idioma, a maneira como você pensa, fala e conduz seus negócios diários. Gostaria de pensar que isso reduz o orgulho e a auto-obsessão e faz com que você pense com mais cuidado sobre as pessoas ao seu redor e o impacto que está tendo na comunidade e na sociedade ao seu redor – Disse ele.

– Para mim, Ele sustenta tudo o que sou e quero ser – Finaliza.

Publicidade

 

*Premier Christian

 


Receba nosso conteúdo EXCLUSIVO no Whatsapp! Clique Aqui!

Continue Lendo
2 Comentários

9 minutos no céu; mulher testemunha encontro com Deus após ‘morrer’ durante cirurgia

Publicado

em

Crystal McVeigh – Imagem: Reprodução/CBN

Uma mulher que morreu durante uma cirurgia está contando seu grande testemunho. Ela revela que foi para o céu e encontrou Deus no período em que foi considerada morta. Hoje, ela compartilha o encontro poderoso que teve com Deus e que mudou totalmente sua vida.

Publicidade

Crystal McVeigh deu uma entrevista ao portal CBN.com onde relatou sua experiência com Deus. Ela iniciou contando que foi abusada na infância, aos 3 anos de idade, o que a fez se distanciar de Deus.

No entanto, para a sua alegria, Jesus o encontrou quando ela tinha 8 anos, logo, ela aceitou como seu Único Senhor. Ela viu uma grande oportunidade de se livrar de toda a culpa e vergonha de ser molestada.

Publicidade

Mas, ela continuou sendo abusada até completar seus 12 anos. Como resultado, ele voltou a duvidar do amor de Deus por ela, porque Ele não a salvou, ou ela pensou que Deus simplesmente não existia.

Segundo o portal CBN.News, para preencher o vazio e o vazio que ela sentia, Crystal recorreu às drogas e ao álcool. Aos 21 anos, ela se tornou uma mãe divorciada com dois filhos. Aos 28, ela se casou novamente e teve gêmeos.

Dez meses depois, após dar à luz gêmeos, Crystal teve complicações em sua saúde, o que precisou ser internada e passar por uma cirurgia. Durante o procedimento cirúrgico, ela foi dada como morta e os médicos tentaram ressuscitá-la.

Publicidade

NOVE MINUTOS NO CÉU

Mas, enquanto a equipe médica tentava reanimá-la, Crystal disse que ela morreu e foi para o céu. Ela se lembra de ter dito à mãe que a amava e morreu. Além disso, tinha plena consciência do fato de que havia morrido.

“Eu me senti muito calma e em paz. E eu me lembro de abrir meus olhos e ver minha mãe sentada na cadeira ao pé da minha cama. E eu disse a ela que a amava”, lembra.

“Uma luz veio até mim como se eu estivesse no meio de um túnel e continuou por toda a eternidade”, lembra ela. “Lembro-me de estar tão em paz e tão banhada nesta luz, neste amor”, revela.

Enquanto a equipe trabalhava para reanimá-la, Crystal diz que ela estava no céu.

“A primeira coisa que me lembro de ter percebido é que ainda era eu mesma. E ainda era eu que acabara de dizer à minha mãe que a amava e morri. E eu estava muito ciente do fato de que acabara de morrer. Mas eu também era o eu que existia desde o momento em que Deus me criou. A luz veio até mim como se eu estivesse no meio de um túnel. No entanto, continuou por toda a eternidade. Lembro-me de estar tão em paz e tão banhado nesta luz e neste amor”, disse.

NA PRESENÇA DE DEUS

Ela sabia que estava na presença de Deus. “Eu não vi um rosto. Eu não vi nenhuma característica além desta bela luz. E palavras como ‘incrível’, ‘perfeito’ e ‘lindo’ são drasticamente insuficientes. Eu não conseguia o suficiente d’Ele. Não conseguia respirar d’Ele o suficiente. Além disso, não conseguia chegar perto o suficiente da luz, e a luz estava em cima de mim”, lembra.

Publicidade

Então Crystal diz que tentou fazer uma pergunta a Deus. Crystal diz: “Eu queria saber por que Ele não me amava. Ou porque Ele permite que coisas ruins aconteçam. No entanto, quando fiquei na frente Dele e O encarei, caí de joelhos e levantei as mãos, a pergunta que lhe fiz foi: ‘Por que não fiz mais por você? Porque em um instante, Ele revelou Seu verdadeiro eu para mim, que é o amor. Nunca tinha adorado a Deus de verdade em toda a minha vida. Mas eu caí na frente dele e o adorei. E enquanto eu estava lá em adoração em reverência a este Criador, lembro-me de dizer: ‘Eu poderia te adorar por toda a eternidade’”, disse.

Crystal viajou com Deus por um túnel em direção aos portões do céu. Ela notou uma criança pequena à sua frente.

“Ela usava um boné na cabeça e uma pequena cesta branca na mão. Eu a observei pegar sua cesta e mergulhar na luz. Ela o pegaria e depois jogaria fora a luz como se fosse água. E a luz cairia em cascata de sua cesta e ela jogaria a cabeça para trás, e ela ria. Cada vez que ela ria, que ela se movia, meu espírito começava a inchar, como se fosse um balão de amor”, conta dizendo que Deus havia revelado a ela que ela se via aos três anos de idade.

“Ele me permitiu saber que Ele me permitiu olhar através de Seus olhos e ver a verdade. E a verdade me libertou”, conta.

DE VOLTA AO HOSPITAL

Todas as dúvidas de Crystal sobre a existência de Deus e Seu amor por ela desapareceu. Então Crystal diz que ouviu sua mãe chamando seu nome.

E eu disse: ‘Posso dizer a ela que estou bem?’ “E Ele disse: ‘A escolha é sua’. Eu me afastei desta luz para ir e descobrir de onde sua voz estava vindo. Quando me virei, Ele disse: ‘Diga a eles o que você consegue se lembrar’. Lembro-me de ligar de volta: ‘Vou me lembrar de tudo e já volto’. Eu olhei para baixo através do chão deste túnel do céu, e era como se eu estivesse olhando para um milhão de diamantes cintilantes. No instante em que notei aquelas substâncias parecidas com diamantes, eu estava de volta ao meu corpo”, conta.

Crystal acordou no hospital, cercada pela equipe médica e sua mãe estava chorando ao seu lado. Crystal deixou o hospital 8 dias depois e disse que saiu de lá uma pessoa diferente.

Publicidade

“A pessoa que morreu naquele quarto de hospital não era a mesma pessoa que voltou de tantas maneiras diferentes. Mas a diferença é que sei que existe um Deus que nos ama. Eu sei que existe um Pai que realmente está nos ouvindo, que realmente está nos segurando”, disse.

TESTEMUNHO EM LIVRO

Crystal escreveu sobre sua jornada em seu livro mais vendido do NY Times, chamado “Acordando no Paraíso”.

“Simplesmente não importa quem somos, onde estivemos, o que foi feito por nós, o que fizemos; (mas) que Seu amor é tão vasto e tão grande que abrange tudo. E que temos esse amor, não por qualquer coisa que tenhamos feito para merecê-lo, mas, porque Ele nos considera dignos e, porque nos dá a escolha de escolhê-Lo”, completou ela.

Crystal McVeigh com seus dois filhos – Imagem: Reprodução/CBN

 

Continue Lendo

Casal usa a fé em favor da cura do filho diagnosticado com tumor no crânio: “Apelamos para Deus”

Publicado

em

Uma família passou por desespero com o filho adolescente após ele contrair um tumor no crânio – Foto: Arquivo Pessoal

Uma família passou por situações de desespero, dor e tristeza com o filho adolescente após  ele ser diagnosticado com um tumor no crânio. O filho quase perdeu a vida em decorrência da doença, mas os pais buscaram a cura do menino pela fé através da oração.

Publicidade

O INÍCIO DE TUDO

Natan Carlos de Souza Dourado, um estudante, era uma criança saudável até completar 12 anos, em 2015. Mas, um insistente congestionamento nasal, sem gripe ou resfriado aparentes, preocupou seus pais.

Preocupados com a saúde do filho, ambos resolveram levá-lo ao médico, a fim de investigar o que estaria por detrás daquele incômodo. No entanto, o médico disse que o tempo seco era a causa do problema e que ele logo passaria.

Publicidade

“Levei meu filho para casa e ele fazia inalação todos os dias. Porém, dois meses depois, o trânsito nasal continuava obstruído do lado esquerdo. Para piorar, começou a sair sangue do nariz. Fomos novamente ao hospital e nos disseram que era uma alergia respiratória ou algo passageiro. Contudo, o olho esquerdo dele ficou dolorido e inchou de repente. O médico solicitou uma tomografia e depois de avaliá-la disse que o caso era grave e internou meu filho”, recorda a atendente Maria Do Carmo Souza Dourado, mãe de Natan ao portal Universal.org.

O motivo da internação seria uma possível fibrose na fossa nasal, que é a formação ou o desenvolvimento de tecido na região das narinas, logo Natan precisou passar por uma cirurgia para a correção do problema.

Uma biópsia foi realizada com o material retirado e não apontou anomalias, mas depois de três meses o sangramento e o congestionamento nasal voltaram. O garoto foi encaminhado para repetir o processo cirúrgico.

Publicidade

O SUSTO E O REFÚGIO NA FÉ

O pai relembra que após a segunda cirurgia, e já em casa se recuperando, o filho teve uma convulsão. Além disso, passou a sentir fortes dores de cabeça e a apresentar quadros de delírio. A família se preparou e encaminhou Natan às pressas para um hospital.

“Para mim, foi um dos piores momentos ver meu filho se debatendo no chão, pois aquilo nunca havia acontecido. Depois ele passou a ter delírios e reclamava de dor na cabeça”, relata o estoquista Izaias Aparecido Dourado, pai de Natan.

Depois que Natan realizou uma nova bateria de exames, seus pais tomaram um susto. Os resultados revelaram um tumor de base de crânio e os problemas em seu nariz era, na verdade, causados por um tumor neuroendócrino maligno infiltrado na fossa nasal, segundo o diagnóstico médico.

Natan teria que passar pela terceira cirurgia, desta vez no crânio, e os riscos apontados pelo cirurgião seriam sequelas na fala, visão e nos movimentos. Foi quando os pais de Natan apelaram para a fé.

Frequentes em uma igreja evangélica, o casal já havia presenciado diversos relatos de curas em sua igreja. Eles decidiram que, apesar do susto, era o momento de ver na vida do filho aquele mesmo poder.

“Nós apelamos para Deus, orávamos juntos determinando a cura dele. Nossa Fé nunca esteve tão em alta. Usávamos uma água consagrada na igreja constantemente: ele bebia um pouco, eu lavava o rosto e a cabeça dele e ainda preparava as refeições com ela”, conta a mãe.

Publicidade

Natan Carlos de Souza Dourado – Foto: Arquivo Pessoal

DEPOSITANDO A CONFIANÇA EM DEUS

De acordo com o portal Universal.org, no dia da cirurgia, o casal se recorda que viu o filho sendo levado na cadeira de rodas para o centro cirúrgico e que o médico os alertou quanto à possibilidade de morte do menino. Eles contam que, por alguns minutos, sentiram como se não tivessem mais chão, mas depositaram sua confiança em Deus.

A cirurgia durou oito horas e foi bem-sucedida. Natan não ficou com nenhuma sequela. Aliado ao tratamento da Fé, o menino fez também um ano de quimioterapia e sessões de radioterapia.

Passados quatro anos, e Natan com 16 anos, a família segue fazendo o tratamento da água em favor da saúde de todos. Natan, completamente curado, reconhece que sua vida é um milagre e sempre acompanha os pais às reuniões da igreja.

 

Continue Lendo

Filho do ator Tom Hanks revelar que deixou de ser ateu após Deus se revela a ele

Publicado

em

Tom Hanks e seu filho Chester Hanks – Imagem: Michael Tran/Getty Images

O ator norte-americano Chester Hanks, filho do também ator Tom Hanks, fez um relato de como deixou o ateísmo depois de uma inesquecível experiência com Deus.

Publicidade

Chester Hanks, mais conhecido como Chet, foi entrevistado na sexta-feira passada (26/02) no podcast Impaulsive Clips e descreveu sua conversão do ateísmo após ser tocado pela mão de Deus, a informação é do portal Christian Post.

Chet hoje com 30 anos, disse que foi na sua adolescência, no seu 17 anos, que ele percebeu que Deus era real. Ele passou 12 semanas em um acampamento em uma área remota de Utah, nos EUA. Cheio de raiva e longe de todos, o então professante “ateu” disse que foi uma “caminhada de um dia” que mudou sua vida.

Publicidade

“Eu saí e sentei na beira deste penhasco e estava apenas olhando para a vista”, disse ele na entrevista. “Enquanto eu olhava para aquela vista e olhava para onde eu estava de uma perspectiva elevada – porque eu estive preso neste deserto por 12 semanas e ele parecia feio e chato, e não havia nada para olhar. Mas agora estou olhando para isso de uma perspectiva elevada do topo desta montanha”, contou.

O também músico revelou que estava tão impressionado com a beleza que o cercava, olhando 360 graus até onde os olhos podiam ver, e não havia um “grão de humanidade” por quilômetros.

“Estou olhando em volta e estou tão emocionado. Parecia que fui tocado pela mão de Deus. Foi naquele momento que Deus se revelou a mim”, testemunhou. “Toda aquela raiva e aquele ódio e aquele ressentimento mudaram. Inverteu-se em uma esperança infinita, gratidão, paz, amor”, disse.

Publicidade

EXPERIÊNCIA MARCANTE

“Simplesmente girou em um centavo, assim. E eu estava tão emocionado que simplesmente sentei na beira daquele penhasco e chorei. Chorei por uma hora, chorei incontrolável por quase uma hora. Não cessou, mas lágrimas de alegria. Lágrimas de tudo, sentindo cada emoção de uma vez, toda a dor e toda a alegria”, disse.

Segundo Chester, aquela experiência foi tão especial que admitiu que nunca se sentiu tão bem, até mesmo quando ele usava drogas e álcool dos 16 aos 24 anos.

“Qualquer experiência que tive com psicodélicos nem chega perto disso”, disse ele. “Foi naquele momento, foi o nascimento da minha vida espiritual, foi quando fui vencido. Eu sabia, ‘OK, não, há algo mais lá fora. Há um poder superior, há uma inteligência superior porque parecia que ele apenas me deu um tapinha no ombro”, revelou.

 

Continue Lendo

Destaques do Mês