Conecte-se conosco

Bebê que nasceu com 5 meses e com 1% de chance de vida sobrevive após oração da mãe

Publicado

em

O bebê Curtis Means nasceu com 500 gramas e tinha apenas 1% de chance de sobreviver – Foto: Arquivo pessoal/Michele Butler

Um menino que pesava apenas 500 gramas ao nascer foi nomeado pelo Guinness World Records como o bebê mais prematuro do mundo a sobreviver. Ele que nasceu com apenas 21 semanas e tinha apenas 1% de chance de vida sobreviveu, graças a oração de sua mãe.

Publicidade

Curtis Means, do Alabama, nasceu em 5 de julho de 2020, quando sua mãe, Michelle Butler, entrou em trabalho de parto com apenas 21 semanas de gravidez e deu à luz gêmeos.

A irmã de Curtis, C’Asya, morreu um dia após o nascimento, mas Curtis sobreviveu enquanto era cuidado na Unidade Regional de Terapia Intensiva Neonatal (RNICU) da Universidade do Alabama, no Centro para Mulheres e Crianças de Birmingham.

Publicidade

A mãe disse que se lembra de orar para que um de seus gêmeos recém-nascidos sobrevivesse ao parto prematuro. “Minhas orações foram atendidas. Eu dei a Deus minha filhinha e ele me deixou continuar a ser a mãe de Curtis”, disse Butler ao Good Morning America.

Curtis, que nasceu prematuramente, foi tão delicada no nascimento que Butler disse que ela teve que esperar quatro semanas após o parto para segurar o filho. Na hora, ele cabia na palma da mão dela. Curtis passaria os próximos nove meses na RNICU, onde médicos e enfermeiras cuidaram dele 24 horas por dia.

“Ele mostrou muita resposta às coisas que estávamos fazendo. Foi definitivamente uma surpresa que um bebê na idade dele fosse tão lutador, ou tão forte quanto ele”, disse o Dr. Brian Sims, professor de pediatria na Divisão de Neonatologia da UAB, e médico assistente de plantão quando Butler chegou.

Publicidade

UM VERDADEIRO MILAGRE

Sims disse que ele e seus colegas precisam observar atentamente as respostas de Curtis aos tratamentos, porque não há precedente médico para um bebê prematuro. “A verdade é que nenhum bebê sobreviveu nesta idade em particular. Não havia dados”, disse ele.

Butler, também mãe de dois filhos mais velhos, de 14 e 7 anos, dirigia de sua casa para a RNICU três ou quatro vezes por semana, uma viagem de ida e volta de três horas, para ver seu filho. Nos dias em que ela não podia visitar pessoalmente, ela disse que as enfermeiras coordenavam as videochamadas para que ela pudesse ver Curtis.

“Foram altos e baixos, dias bons e ruins”, disse ela. “Por algumas semanas ele se sairia muito bem e então ficaria doente e dava cinco passos para trás”, completou.

Curtis Means ganhou o prêmio do Guinness World Records como o bebê mais prematuro do mundo a sobreviver – Foto: Andrea Mabry/University of Alabama

GUINNESS WORLD RECORDS

Curtis Means foi certificado pelo Guinness World Records como o bebê mais prematuro do mundo a sobreviver. Embora tivesse menos de 1% de chance de sobrevivência ao nascer, de acordo com os médicos, Curtis se desenvolveu no hospital, após 275 dias.

Publicidade

Butler o levou para casa em 6 de abril de 2021, onde conheceu seus irmãos pela primeira vez. Eles não puderam visitar Curtis no RNICU devido às restrições do COVID-19. “Eu surpreendi meus filhos”, disse Butler. “Eles não sabiam que estávamos voltando para casa e estavam muito animados.”

Seis meses depois dessa surpresa, Butler e Curtis voltaram para a Universidade do Alabama, no Centro para Mulheres e Crianças de Birmingham, onde foram surpreendidos por médicos e enfermeiras que os presentearam com o certificado do Guinness World Records nomeando Curtis como o bebê mais prematuro do mundo a sobreviver.

“As pessoas falam sobre prêmios e coisas, mas ver um paciente que não tinha virtualmente nenhuma chance de sobrevivência no papel olhando para você e sorrindo é uma das maiores recompensas e prêmios que um médico pode receber”, disse Sims. “Curtis fez a maior parte do trabalho, mas foi uma honra poder ajudá-lo.”

O PODER DA ORAÇÃO

Ele ainda está no oxigênio e em um tubo de alimentação, mas ele deve se livrar de ambos no futuro, de acordo com Sims.

“A boa notícia é que todas as coisas que ele tem agora, bebês fortes podem se livrar dessas coisas, então isso é muito encorajador”, disse Sims. “Mas quando estamos cuidando de um bebê que nunca tivemos a oportunidade de cuidar, muito disso seremos nós observando-o se desenvolver com o tempo”, revelou ele. “Ele é um bebê feliz”, disse ela sobre Curtis. “Ele vai rir e sorrir para você.”

Relembrando a longa jornada de Curtis desde o nascimento, Butler disse que encorajaria outros pais de bebês prematuros a serem os “maiores defensores” de seus filhos.

Publicidade

“Nós, pais, somos os maiores defensores de nossos filhos, então tudo o que você sente em seu coração você segue isso”, disse ela. “E continue a orar”, finalizou.

Editor-chefe do Gospel Minas. Cristão, jornalista e empreendedor de BH/MG. Amante da arte, comunicação e jornalismo. Pronto para servir o povo cristão com excelência. Contato: (31) 99583-5239 - [email protected]

Destaques do Mês