“O hipócrita era eu”, diz comediante cristão John Crist, oito meses depois de cometer assédio sexual

O comediante de 36 anos reapareceu, após oito meses tratando. O artista americano publicou um vídeo agradecendo os apoios que recebeu

John Crist – Foto: Divulgação

O comediante cristão americano John Crist reapareceu após oito meses de ter sido acusado de assédio sexual em novembro de 2019. Em um vídeo publicado ontem (15) nas redes sociais, o artista agradeceu os fãs e os seguidores pelo apoio “imerecido” e as orações enquanto procurava tratamento após o escândalo.

– Faz mais de oito meses desde que publiquei qualquer coisa na internet e para um cara que costumava postar conteúdo literalmente todos os dias, que parecia uma eternidade. Deixe-me dizer em primeiro lugar. Obrigado pelo amor, carinho e apoio que vocês me mostraram. Significou o mundo – Disse ele em resposta às orações que recebeu.

 

Leia Mais:

+Pregador Luo rebate evangélicos que criticaram capa de álbum: “Rasas e malvadas”

+União das Igrejas cria petição contra ataques à pastores na Angola

+Julia Vitória lança nova música com participação de Aline Barros

 

Diante da acusação, o comediante teve que cancelar sua turnê ainda em 2019. Além disso, ele teve seu especial da Netflix e um livro adiado devido a alegações de má conduta sexual feitas por várias mulheres.

As alegações incluíam: ter relações sexuais com mulheres casadas e doar ingressos para seus shows em troca de favores sexuais. Como resultado, Crist decidiu parar tudo em sua vida profissional para obter ajuda.

Ele disse que passou os últimos oito meses “recebendo ajuda” para o seu “problema”, incluindo quatro meses em uma unidade de tratamento e que planeja continuar o processo de recuperação. Ele não citou o local ou programa através do qual recebeu tratamento.

– Eu estava em uma instalação de tratamento por quatro meses e estava longe do meu telefone, e minha irmã apenas me enviava cartas de pessoas que me procuravam ou enviava uma carta para nosso escritório, nosso site e as pessoas que cuidavam de mim, e preocupado comigo, orando por mim, desejando minha restauração e cura. Estou incrivelmente humilhado por receber esse apoio, certamente imerecido com base nas decisões que tomei em minha vida pessoal, mas incrivelmente humilde em receber – Disse o artista.

O comediante cristão, que era popular por tirar sarro da cultura da igreja, admitiu que ficou surpreso ao receber tanto apoio.

– Eu assumi que vivia em uma comunidade de pessoas que seria a primeira a me desprezar, me julgar e apontar os dedos para mim, e não senti nada além do contrário durante todo esse processo. Deixe-me dizer o quão esperançoso e encorajador isso era trabalhar em minha própria saúde mental, e minha recuperação e cura e um monte de pessoas torcendo por mim e me apoiando significava o mundo – Disse ele.

John Crist admitiu que, no início do escândalo, ele queria entrar na Internet e “justificar”, “racionalizar” e até “minimizar” suas ações. Mas depois de passar pelo tratamento, ele percebeu que ninguém é o culpado, a não ser ele mesmo.

– Essas escolhas estavam sobre mim e que essas decisões eram minhas e de mais ninguém e ninguém mais deve ser responsabilizado. Aponto os dedos para mais ninguém além de mim mesmo, e fiz essas escolhas e isso me ensinou – Disse.

Crist também reconheceu sua própria hipocrisia.

– A parte mais embaraçosa de tudo isso é o maior hipócrita em tudo isso fui eu, retratando uma pessoa na internet e me comportando diferente em particular – Admitiu ele em um vídeo quase cinco minutos.

 

Com informações de ‘Christian Post’.

 


Receba nosso conteúdo EXCLUSIVO no Whatsapp! Clique Aqui!


 

 

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.