Conecte-se conosco

Colunistas

O perigo do PL 2630/20 das fake news

Publicado

em

Mateus 4 narra a história da tentação de Jesus, ocasião em que o próprio Espírito Santo o conduziu ao deserto para ser tentado pelo diabo. Jesus estava fragilizado. Sentia fome. E a primeira oferta do inimigo mirou exatamente na sua necessidade: “E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.” Mateus 4:3.

+ O combate à desigualdade

A retórica é simples: Satanás ofereceu aquilo que aparentemente faltava ao Mestre – o pão. Há 40 dias Jesus não se alimentava e estava fraco. A comida, naquele momento, possivelmente era o que ele mais ansiava. A isca é sempre muito mais atrativa quando vai ao encontro das nossas necessidades.

Vivemos tempos difíceis. Economia ameaçada, pessoas fragilizadas e um país totalmente polarizado. Este é o momento ideal para lançar ideias aparentemente positivas, mas, que possuem suas raízes fincadas em pensamentos altamente prejudiciais.

+ A outra face

Eu poderia citar diversos exemplos que se enquadram nessa situação, mas, um em especial é bastante danoso – o imediatismo. A pressa em apresentar resultados em curtíssimo prazo, mina o ideal de nação livre, próspera e sustentável.

O PL 2630/20 das fake news visa acabar com a propagação de notícias falsas. Apesar da boa intenção de seus autores, o projeto é uma grande ameaça a liberdade de expressão. Certamente, é essencial por fim às mentiras que circulam nas redes, assim como era fundamental que ao término do jejum, Jesus se alimentasse.

Entretanto, esta proposição, comprometerá um ideal muito maior, que é a democracia e a liberdade de manifestar-se. Jesus estava faminto. Comer, por óbvio, saciaria uma necessidade de curto prazo, mas destruiria o propósito pelo qual veio a Terra – morrer sem pecado, como sacrifício por nós. O propósito maior e que definia toda sua trajetória teria sido trocada pelo imediatismo.

+ A esperança vence o medo

Para afugentar-se deste engodo, Jesus usou a verdade. Ele conhecia profundamente a Palavra de Deus e por isso, foi capaz de se proteger desta armadilha. O debate das fake news precisa ser aprofundado. A eventual aprovação do texto como está (o que acredito que não irá acontecer), certamente será um retrocesso. Para se proteger desta e de outras iscas, é fundamental conhecer as leis que regem o nosso país, bem como a Palavra de Deus, um farol que nos direciona ao ideal de nação.

 

Você pode acompanhá-lo em suas redes sociais e no YouTube: Lucas Gonzalez.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Destaques do Mês