Conecte-se conosco

Brasil

Pastor encontrado morto em motel teria se enforcado, diz polícia

O pastor Jesus Dalvino Gorgs, de 41 anos, foi encontrado morto em um quarto de motel em Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (08/03).

Publicado

em

Pastor Jesus Dalvino Gorgs – Foto: Reprodução/Facebook

O pastor Jesus Dalvino Gorgs, de 41 anos, foi encontrado morto em um quarto de motel em Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (08/03). O religioso havia sido preso por manter a ex-mulher refém em sua residência, cortar os cabelos dela e fazer vídeos ao vivo nas redes sociais, em março de 2020.

Publicidade

O caso é investigado e tratado como suicídio pela Polícia Civil e segundo a corporação, o pastor deu entrada no estabelecimento por volta das 3h desta segunda, acompanhado de uma mulher.

Às 8h da manhã, o religioso pediu a liberação da acompanhante e, cerca de 20 minutos depois, ligou para um amigo dizendo que estava passando mal.

Publicidade

Equipe de socorro na entrada do motel em que o pastor foi encontrado morto nesta manhã – Foto: Paulo Francis

A gerente do motel disse que foi acionada por um funcionário que ao entrar no quarto se deparou com o corpo do homem enforcado. Não havia sinais de violência nem de que o pastor estivesse com alguém, levando à suspeita de suicídio. O corpo foi achado por volta das 9h30.

SOBRE O PASTOR

Jesus Dalvino Gorgs já foi preso em flagrante pela polícia por manter a esposa em cárcere no dia 12 de março de 2020. Naquela ocasião, depois de duas horas de negociação, o Bope (Batalhão de Operações Especiais) resgatou a mulher que era mantida refém por Jesus. Como o agressor não cedeu, os policiais tiveram que invadir o local [veja o vídeo abaixo].

Publicidade

Segundo o portal Midiamax, informações de familiares apontam que a casa onde os fatos ocorreram é da mulher que, depois de ficar viúva, passou a conviver com o pastor, considerado ‘oportunista’.

Durante a madrugada, eles tiveram uma discussão e o desentendimento se agravou. O pastor fez uma live nas redes sociais cortando o cabelo da vítima e a ameaçando com uma tesoura. Amigos visualizaram a publicação e acionaram a polícia. O pastor foi expulso da igreja Assembleia de Deus, a qual fazia parte.

PORTE DE ARMA

O ex-pastor também já foi preso por porte ilegal de arma de fogo em abril de 2019. Ele seguia com um amigo de carro, quando foram abordados pela Polícia Rodoviária em Mato Grosso do Sul.

Ao ser questionado, o pastor confessou que carregava uma pistola Taurus, calibre 38, acompanhada de 16 munições. A arma estava escondida no porta-luvas do veículo.

Publicidade

 

Destaques do Mês