Conecte-se conosco

Minas Gerais

Polícia Civil indicia onze pessoas da Backer após intoxicação em MG

Publicado

em

Foto: Divulgação

Após cinco meses, a Polícia Civil de Minas Gerais concluiu a investigação sobre a intoxicação das cervejas da empresa Backer. Segundo o órgão, um vazamento liberou dietilenoglicol nas cervejas BeloHorizontina e outras marcas produzidas pela Backer. Além disso, a Polícia Civil indiciou onze funcionários da cervejaria.

Publicidade

Flávio Grossi, delegado da Polícia Civil, disse que a PC conseguiu comprovar a existência de um vazamento no tanque de cerveja, após uma investigação física e quimica nos tanques. Os investigadores comprovaram que o vazamento começou em setembro de 2019, quando foi adquirido o tanque JB10, que foi onde a polícia concentrou seus esforços, por ter demonstrado quimicamente alta concentração da substância.

 

Publicidade

Leia Mais:

+Ana Maria Braga revela que parou de fumar durante a quarentena

+“O luto é doloroso, mas Deus vai dar forças”, diz esposo de Fabiana Anastácio

+Isaias Saad recorda passado e aconselha: “Não negocie seu caráter por dinheiro”

Publicidade

 

– Encontramos o vazamento dentro do tanque. O líquido ia para dentro da cerveja. Achamos a comprovação física e visual da existência desse vazamento, mas, para nossa equipe, queríamos mais. Demonstramos quimicamente uma similaridade entre o produto retirado no tanque e lá dentro do produto. Tinha a mesma composição. Comprovamos de forma química a existência desse vazamento – Disse o delegado Grossi.

O delegado também informou na coletiva promovido pela Polícia Civil, que foram encontrados outros pontos de vazamento na mesma adega. Um dos vazamentos estava na bomba do chiller, o resfriador dos líquidos.

– A bomba do chiller vazando, o líquido se espalhava pela fábrica – Disse.

 

Publicidade

Fazem parte do grupo de indiciados:

  • Testemunha que mentiu em seu depoimento: responderá por falso testemunho e obstrução;
  • Chefe da manutenção: responderá por homicídio culposo, lesão corporal culposa e contaminação de produto alimentício culposa;
  • Seis pessoas do grupo gestor e responsáveis técnicos: responderão por homicídio culposo, lesão corporal culposa e contaminação de produto alimentício dolosa;
  • Três pessoas do grupo societário: responderão de forma dolosa por não dar publicidade a produto que causa risco e por manter em depósito e colocar à venda esse produto.

 

Nota da Backer

Por meio de nota a assessoria da cervejaria mineira disse que “reafirma que irá honrar com todas as suas responsabilidades junto à Justiça, às vítimas e aos consumidores”. Sobre o inquérito policial, a Backer informou que “tão logo os advogados analisarem o relatório, a empresa se posicionará publicamente”.

Assista toda a dinâmica no vídeo abaixo:

 

Editor-chefe do Gospel Minas. Cristão, jornalista e empreendedor de BH/MG. Amante da arte, comunicação e jornalismo. Pronto para servir o povo cristão com excelência. Contato: (31) 99583-5239 - [email protected]

Destaques do Mês