Pastores e religiosos são vítimas de violência no México

Os clérigos católicos não estão isentos do crime. A Agência Fides da Congregação para Evangelização dos Povos do Vaticano relatou a morte violenta de 14 líderes católicos, durante esses seis anos.


Os líderes apontam como um dos motivos a decomposição e degradação social da sociedade mexicana por causa dos valores negativos e não necessariamente tem a ver exclusivamente com o governo do atual presidente Calderón.


“É preocupante o número de sacerdotes assassinados, mas não podemos culpar o regime dos assassinatos porque as causas são variadas. São um reflexo desta violência que vai crescendo no país por tais crimes”, disse Hugo Valdemaro, diretor Arquidiocesano de Comunicação Social.


As congregações cristãs evangélicas clamam aos integrantes do crime organizado a regressarem ao caminho do bem por meio do arrependimento. Já são 151 ex-assassinos e ex-sequestradores se converteram a Cristo e levam a palavra de Deus para as prisões nas cidades de Juarez.


Uma agenda de unidade nacional contra o crime que está devastando o país está sendo preparada pelas Igrejas Evangélicas para criar conscientização para superar o problema.

Fonte: Christian Post/Creio

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.