Conecte-se conosco

Gospel

Trazendo a Arca divulga nota oficial sobre confusão na gravação de seu primeiro DVD

Publicado

em

NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Publicidade

A escolha do local deu-se em função de sua localização centralizada, facilitando o acesso para o publico de todo Rio de Grande Rio, bem como daqueles que viriam de outros estados, pois o local tem acesso fácil a rodoviárias, rodovias e aeroportos. Quanto ao tamanho, seria um local com estrutura para um número considerável de pessoas, com acústica que permitisse a gravação do DVD, pois não era um simples evento de ministração, mas de um evento que seria gravado ao vivo e com excelência, pois estávamos fazendo em primeiro lugar uma grande noite de louvor e adoração para o Senhor com o registro e DVD que sabemos que abençoam o lar de muitas pessoas inclusive com a restauração de vidas.

Sobre a organização do evento, a Suderj, responsável por todos os eventos que ocorrem no maracanãzinho, estabelece uma série de exigências, que se não cumpridas o evento é embargado. Dentre as exigências estão o projeto do palco feito em planta do maracanãzinho por eles fornecidas, contendo todas as medidas, posicionamento do palco, que deve ser aprovado no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, no Corpo de Bombeiros e pelo próprio departamento de Engenharia da Suderj. Além disto, apresentação do projeto de iluminação assinado por engenheiro responsável, autorização de diversos órgãos como Policia Militar, CET RIO, Corpo de Bombeiros, Hospital Souza Aguiar, e muitas outras para que o evento possa acontecer. Os ingressos são determinados em função do projeto apresentado já que o palco é montado em espaço onde cadeiras são retiradas para que possa ser montado, e quem determina o número de ingressos é o próprio Corpo de Bombeiros que emite uma autorização com u número de pessoas que poderão estar no local. É de se registrar, ainda, que o ingresso não pode ser feito aleatoriamente por qualquer empresa, mas sim por uma empresa indicada pela Suderj já que é esta mesma empresa quem disponibiliza as roletas eletrônicas.

Publicidade

Todas as exigências foram cumpridas conforme as determinações da Suderj. O processo de montagem do evento começou na 2ª feira antes do evento, com a presença constante do departamento de engenharia da Suderj fiscalizando a execução de tudo. Todas as exigências foram cumpridas. Na 4ª feira o palco já estava todo montado, as luzes em processo final de montagem ficando toda a estrutura pronta, inclusive o som, na 5ª feira quando então demos início a passagem de som e ensaio geral para que tudo ocorresse na mais perfeita ordem. Até então a Suderj, vendo tudo ser montado, acompanhando tudo passo a passo, nada se pronunciou sobre a questão de lugares. Com a montagem do palco (parte dos fundos) perdíamos aproximadamente 3 mil lugares, porem, esta perda seria compensada na quadra onde ficariam as pessoas que tinham ingresso para estar na platéia. As laterais do palco, onde a visibilidade é parcial, como em qualquer evento, nos preocupamos em instalar 4 telões dos quais 2 deles a Suderj solicitou a retirada, o que fizemos prontamente. Alem desses telões, no centro do maracanãzinho, pendurado do teto, há um placar eletrônico, com 4 faces, que funcionam também como telões de alta resolução, onde se poderia acompanhar todo o evento de qualquer lugar que a pessoas estivesse.

Em nível de apoio operacional, era nossa obrigação ter posto médico funcionando no local, ambulâncias particulares (alem das ambulâncias dos bombeiros) e uma equipe de segurança, nos moldes do calculo que a PM faz por quantidade de pessoas, que totalizavam mais de 150 segurança, tudo isto no intuito de promover a todos um ambiente agradável e organizado. Enfim toda a família Trazendo a Arca trabalhou muito e se empenhou em promover o melhor para Deus e para o povo de Deus que estaria naquele lugar, tudo isto para que aquele local, um ginásio de esportes, palco de muitos shows mundanos, se tornasse um lugar sobrenatural com uma grande atmosfera de adoração e de presença de Deus. Mesmo com todas as exigência organizacionais para um evento deste porte, não deixamos de lado as questão espiritual. Tivemos o apoio direto de um grupo de intercessores e pastores que oraram e jejuaram por quarenta dias e que diante de tudo o que aconteceu se comprometeram a permanecer no propósito por 1 semana.

Tudo estava pronto para qual a abertura dos portões ocorressem no horário determinado, as 17 horas, porem, antes que terminássemos de organizar nossa segurança que estaria encaminhando o público para o setor correspondente ao ingresso que cada um portava, a Suderj, sem qualquer aviso aos nossos organizadores abriu os portões e o público foi e dirigindo aleatoriamente para locais diversos daqueles que o ingresso permitia. Feito isto, ficou bastante complicado restabelecer cada qual ao seu lugar e a própria Suderj, quando viu o transtorno que causou por sua negligencia em abrir o portão antes do previsto e sem aviso, arbitrariamente ordenou o fechamento dos portões. Segundo eles, teríamos que organizar a parte interna, das pessoas que estavam dento do local, para que eles liberassem a entrada dos que estavam do lado de fora. Essa foi à exigência deles, organizamos todos que estavam dentro do local, o que levou a um atraso de 2 horas para o início do evento, na certeza de que os portões seriam reabertos conforma o que a Suderj nos confiou, por esta razão é que várias pessoas da organização afirmavam que todos iriam entrar e que não fossem embora.

Publicidade

Neste momento, preocupados com as pessoas que estavam do lado de fora, nos reunímos com a pessoa responsável pelo Maracanãzinho, com o Cel do Corpo de Bombeiros, com o vice-presidente da Suderj e até advogados no intuito de solucionar o problema com a reabertura dos portões, pois havia muitos lugares vazios que comportavam todo o público que estava do lado de fora. Junto ao Corpo de Bombeiros, o Coronel responsável liberou a entrada do publico em vários pontos onde havia muitos lugares vazios, porém a responsável pela Suderj não deixou de modo algum, indo em confronto até com a liberação que o Cel do Corpo de Bombeiros havia permitido. Daí em diante, ficou visível o agir do Diabo naquela situação, mediante ameaça de parar o evento que a esta altura já havia começado, que segundo o que foi dito pela responsável da Suderj, era melhor deixar como estava e não questionar mais nada porque com apenas uma assinatura dela o evento estaria embargado a partir daquele momento.
A partir de então não pudemos fazer mais nada a não ser orar e chorar diante de Deus. Não foi uma questão de desorganização do Ministério Trazendo a Arca mas sim uma grande investida do inimigo para nos envergonhar. Deixamos uma palavra a todos:
“TODAS AS COISAS COOPERAM PARA O BEM DAQUELES QUE AMAM A DEUS”. Deus os abençoe!

Fonte: NT Gospel

Destaques do Mês