Conecte-se conosco

Gospel

Youcef Nadarkhani é libertado da prisão iraniana

Publicado

em

Youcef Nadarkhani, o pastor iraniano que conquistou os
corações de milhões de pessoas por se manter 
firme em sua fé, enquanto enfrenta a execução, foi absolvido da acusação
de apostasia.

Duas organizações que acompanhavam de perto o caso e tem
fontes no Irã informou, neste sábado, que Nadarkhani, que foi a julgamento no
início do sábado, foi libertado da prisão e está em casa com sua família.

Obrigado a todos que me apoiaram com as suas
orações, Nadarkhani disse, de acordo com Present Truth Ministries.


Pastor Yousef Nadarkhani é recebido após sua libertação

Embora absolvido da acusação de apostasia, o pastor iraniano
foi considerado culpado de evangelizar muçulmanos. Ele foi condenado a três
anos de prisão, mas foi liberado porque ele já cumpriu a pena.

Damos graças a Deus por sua libertação e a resposta às
nossas orações, disse Jason DeMars, fundador dos Present Truth Ministries
em um comunicado.

Nós elogiamos o judiciário iraniano por esta decisão,
que é um triunfo para a justiça e o Estado de Direito, disse o
presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas.

Enquanto nós nos alegramos com esta notícia
maravilhosa, nós não nos esquecemos de centenas de outros que são molestados ou
injustamente detidos por conta de sua fé, a CSW está empenhada em continuar a
campanha até que todas as minorias religiosas do Irã sejam capazes de desfrutar
de liberdade religiosa garantida sob o Pacto Internacional de Direitos Civis e
Políticos, do qual o Irã é signatário.

Nadarkhani, pastor em uma rede de igrejas domésticas, foi
preso em 13 de outubro de 2009, depois de protestar contra a decisão do governo
de forçar todas as crianças, incluindo seus próprios filhos cristãos, ao ler o
Alcorão.

Ele foi inicialmente acusado por protestar, mas as acusações
foram posteriormente alteradas para a apostasia e evangelismo aos muçulmanos.
Em 2010, ele foi condenado a morte e a decisão foi confirmada pelo Tribunal
Supremo do Irã no ano passado.

De acordo com a lei islâmica “Sharia”, um apóstata tem três
dias para se retratar. O pastor cristão se recusou a renegar sua fé.

Cristãos de todo o mundo têm orado pela libertação de
Nadarkhani. A campanha no Twitter defendendo sua liberdade atingiu mais de 3
milhões de postagens.

Traduzido do The Christian Post

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Destaques do Mês