Coronavírus, um instrumento nas mãos de Deus para tratar o nosso coração

A pandemia, mesmo que ainda não saibamos a gravidade das consequências que trará, vai passar! Toda nossa geração, por consequência ou não deste vírus, também.

Foto: Lagoinha

Salmo 90.1 – “Senhor, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração.”

O salmos mais antigo da Bíblia apresenta para nós um grande contraste. De um lado Moisés coloca a raça humana, e descreve um povo completamente limitado. Do outro um Deus eterno, infinito em poder.

Os homens são limitados pelo tempo. Seus dias são breves como um sono, como um breve pensamento, como uma planta que nasce pela manhã, floresce durante o dia, e de noite murcha e seca. Os homens são limitados por sua estrutura. Sua estrutura é pó. Dele vieram, para ele tornarão. Mesmo assim nós, seres tão limitados, nos percebemos às vezes tão cheios de nós mesmos?! Cheios de convicções, cheios de projetos, cheios de uma falsa sensação de que somos capazes de dirigir a nossa própria história.

A estrutura humana diante do caos se vê completamente abalada. Neste sentido os dias atuais, dias de quarentena pelo impacto global trazido pelo COVID19, nos vemos assim, desesperados. Nesse deserto os ídolos do nosso coração foram expostos. Eles se tornaram ídolos no exato momento em que colocamos neles (projetos, economia, saúde, governos, etc) nossa esperança, quando esta deveria estar somente no Senhor Jesus.

No entanto, para este homem há um convite: “Tornai, filhos dos homens!”. Esse convite quem faz é o Deus que não se limita pelo tempo, é aquele que cria os meios e recursos, que pelo poder da sua ordem deu origem e governa todas as coisas. E isso, desde quando? Desde sempre. Ele é refúgio de geração em geração. É esse Deus quem nos convida a olharmos para Ele. Que contraste!

A pandemia, mesmo que ainda não saibamos a gravidade das consequências que trará, vai passar! Toda nossa geração, por consequência ou não deste vírus, também. Aquele que é eterno permanecerá, e a pergunta que fica para nós hoje é: estamos refugiados n’Ele? 

Israel Abreu é mineiro de Itabira/MG, possui 26 anos e é apaixonado por café e queijo. É cristão, casado e pastor auxiliar na Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte/MG. Israel é formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano Reverendo Denoel Nicodemus Eller e fazendo mestrado em Ministério Pastoral pelo Centro de pós-graduação Andrew Jumper da Universidade Mackenzie. Você pode acompanhá-lo em suas redes sociais e no YouTube: Israel Abreu

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.