Conecte-se conosco

Brasil

Mulher vende filho recém-nascido por R$ 17,5 mil para pagar plástica no nariz

Publicado

em

Mulher acabou presa após vender filho para casal (Reprodução/@mvd_dagestan/Newsflash)

Uma russa foi presa acusada de vender o filho recém-nascido por 300 mil rublos (cerca de R$ 27,5 mil) para realizar um procedimento estético no nariz. A mulher de 33 anos, não identificada, do Daguestão, no Sul da Rússia, teria dito a uma amiga que não queria ficar com o bebê. As informações são do Daily Mail.

A mulher arranjou para um casal comprar o bebê cinco dias após ele nascer, em 25 de abril. A polícia afirma que a mãe entregou o filho ao casal por 200 mil rublos, com um depósito de 10%. “A mãe biológica queria deixá-la no hospital. Ela não podia sustentar a criança, então eu peguei o bebê”, disse a mulher que comprou o recém-nascido à polícia.

Plástica no nariz

O bebê precisava de tratamento hospitalar e os médicos pediram ao casal sua certidão de nascimento. Como eles não tinham, eles voltaram até a mulher pedindo o documento do bebê. A mulher disse que ela só o daria em troca de mais 100 mil rublos (cerca de R$ 9,2 mil). A mãe havia dito ao casal que não tinha emprego, nem onde morar, nem dinheiro. Mas ao receber a quantia em 26 de maio, ela disse a eles que pretendia gastar o dinheiro em uma plástica no nariz.

A mulher que comprou a criança ainda disse que a mãe falou que precisava de uma plástica no nariz para respirar melhor. Mas antes que o casal pudesse entregar o restante do pagamento, a polícia prendeu o grupo por tráfico de pessoas.

Em um comunicado, o Comitê de Investigação da Federação Russa para a República do Daguestão informou que iniciaram um processo criminal contra uma mulher de 33 anos residente da cidade de Kaspiysk. “De acordo com os investigadores, em 25 de abril de 2022, uma mulher deu à luz um filho do sexo masculino no Hospital Central de Caspian City”.

Investigação

O casal concordou em adotar a criança após ser informado sobre a situação da mãe, incentivados por um vizinho. “Fiquei amigo dela e sugeri que ela entregasse a criança a uma família que não podia mais ter filhos”, disse o vizinho à polícia.

A mãe foi a um cartório que emitiu uma renúncia aos direitos da criança em 30 de abril, segundo os investigadores, e trocou a criança pelo dinheiro. “Ela não queria apenas deixar a criança, ela queria encontrar uma família para ela”, disse a mulher que comprou o bebê.

“Atualmente, está sendo realizada uma série de ações investigativas, visando apurar todas as circunstâncias do crime cometido e consolidar as provas da culpa da suspeita. A prisão preventiva já foi pedida”, conclui o comunicado do Comitê de Investigação da Federação Russa para a República do Daguestão.

 

Publicidade

Destaques do Mês