Conecte-se conosco

Colunistas

O Cristão e a Manifestação Política

Publicado

em

Foto: franckreporter by Getty Images

Vivemos em tempos de efervescência política. Desde as últimas eleições, é notório que o Brasil vive uma grande polarização. Em se tratando de política e religião, o consenso geral é que essas coisas não se misturam. Esse é o entendimento do mundo secular, onde a religião não tem importância, e no máximo pode ser importante para a vida privada dos indivíduos. Deus tornou-se um assunto de “foro íntimo”. Estamos retirando Deus das discussões diárias.

Publicidade

Esse é um sintoma de que caminhamos a passos largos para uma secularização no Brasil, assim como foi na Europa. O Estado, de fato, precisa ser laico, mas a fé não. Não bastasse isso, vejo que muitos cristãos estão alterando a cosmovisão para secularizar a igreja, fazendo dela uma incubadora de partidos políticos, ou ideologias políticas, liquidando assim a função profética da igreja. A igreja não pode ter partido político, viés ideológico, ou mesmo governo de preferência.

A função do cristão é se opor de forma isenta aos sistemas de governo humanos que erram e oprimem seus governados. Uma visão de mundo pautada nas ideologias de “esquerda” e “direita”, tiram o evangelho do centro. Todos os governos humanos erram, e por isso, demonstram claramente a incapacidade, do homem em se relacionar com o poder de forma isenta.

Publicidade

As ideologias tiram do cristão a visão primária de Cristo. Nossa cosmovisão é pautada na criação, queda e redenção, esse é o tripé primordial da cosmovisão cristã. As visões ideologizadas são nada mais que planos de salvação sem Cristo. Tanto um pensamento liberal, como progressista, pregam uma salvação para nossas mazelas, fora de Jesus. É o homem salvando o homem.

Um cristão deve ser dominado pelo Evangelho a tal ponto que não se satisfará com nenhuma ideologia terrena. Ele estará tão fascinado pela realidade do evangelho, que não ligará para nenhuma possibilidade ideológica. Nós não somos parte desse mundo, nós estamos aqui de passagem, como meros estrangeiros. Não seremos a diferença na sociedade enquanto nos parecermos com ela. A liberdade do evangelho nos oportuniza denunciar as mazelas do Estado e da política, justamente por sermos livres de suas ideologias e organizações de poder.

Sei que é difícil não se contaminar diante de uma realidade tão ideologizada, mas é um exercício diário de arrependimento, notar se algo em nosso coração tem tomado o lugar central de Jesus.

Publicidade

 

 

Você pode acompanhá-lo pelo Instagram: @idfernandeslucas.

Isaías Fernandes é natural de Belo Horizonte/MG. É casado com Núbia Mariele, pastor da Igreja Batista da Lagoinha em BH, advogado. Tem formação em Teologia e Direito. Isaías também é apaixonado por leitura e livros.

Destaques do Mês