Cobras voadoras encontradas na Ásia intrigam cientistas

O réptil vem intrigando cientistas com sua capacidade de saltar entre árvores e de planar por até 24 metros

Foto: Reprodução / Internet

Está viralizando na internet o caso da cobra voadora chamada Chrysopelea Paradisi, natural do sul e sudeste da Ásia. O animal vem intrigando cientistas pela capacidade de saltar de árvores e planar no ar por distâncias de até 24 metros.

Conhecida como “a cobra das árvores do paraíso”, a cobra usa essa característica não só para se locomover no ambiente, mas também para os auxilia a evitar predadores. Quando estão em sob o ar, as serpentes promovem ondulações em seus corpos, como se estivessem deslizando no solo.

 

Leia Mais:

+Mulher escapa milagrosamente, após queda de poste: “Mão de Deus”

+Mulher diz ter filha com Abílio Santana e que pastor se recusa assumir paternidade

+Em sua nova música, “Seja Forte”, Isadora Pompeo aborda a tristeza e o processo de superação

 

Com isso, pesquisadores resolveram publicar um estudo sobre a descoberta da dinâmica das ondulações destas cobras. O estudo foi publicado na última segunda-feira (29). Pesquisadores da Universidade Virginia Tech nos Estados Unidos colocaram etiquetas de captura de movimento em sete delas e as filmaram com câmeras de alta velocidade, enquanto elas voavam alcançando e a marca incrível de 24 metros.

Diante disso, os cientistas captaram dados através dos sensores acoplados nas serpentes e produziram um modelo em 3D do movimento dos animais. Os autores então simularam saltos com e sem ondulações.

– Uma das conclusões deste estudo é que a ondulação aumenta a estabilidade das serpentes voadoras. Sem a ondulação as cobras ainda percorrem uma distância horizontal, mas o que acontece é que elas falham e acabam, praticamente, tombando – Disse Isaac Yeaton, autor principal do estudo e pesquisador da Universidade Johns Hopkins (EUA).

Conforme o estudo publicado sobre o caso, a ondulação gera uma combinação de movimentos horizontais e verticais que garantem que a cobra tenha um pouso adequado após o salto, permitindo que o animal alcance o solo de forma segura. Para os pesquisadores, a análise da ondulação das cobras voadoras ainda pode ter aplicações na robótica.

O movimento de ondulação de cobras no solo já inspira movimentos de robôs na água e em ambientes arenosos. De acordo com o trabalho, o movimento ondulatório feito pelo chão é o mesmo feito no ar, o que faz com que o animal tenha essa capacidade.

– Podemos usar o que descobrimos sobre a ondulação aérea e traduzir isso para os robôs, a fim de garantir um ‘deslizamentos’ bem-sucedido” – Disse Yeaton

Apesar de parecerem assustadoras, as Chrysopeleas Paradisis têm um veneno considerado inofensivo, sem causar danos aos seres humanos.

 


Receba nosso conteúdo EXCLUSIVO no Whatsapp! Clique Aqui!

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.