Conecte-se conosco

Gospel

Extremistas islâmicos cortam cabeça de cristão após forçá-lo a negar a Cristo

Publicado

em

islamicoOs militantes pediram que o homem saudasse Maomé como mensageiro de Deus

 

Publicidade


Um homem cristão na Síria recentemente teve sua cabeça brutalmente arrancada por militantes islâmicos depois de ter sido forçado a negar sua fé e saudar Maomé como “o mensageiro de Deus”.

 

Publicidade

O incidente foi capturado em vídeo para o mundo inteiro assistir, transmitido como um aviso para “todos como ele”.

 

Na gravação enviada para o YouTube, o homem cristão indefeso é cercado por militantes armados usando máscaras. Durante o vídeo, é possível ouvi-lo recitar conforme as instruções: “Não há Deus além de Deus, e eu declaro que Maomé é o mensageiro de Deus”.
Uma aparente líder do grupo de militantes é ouvido instruindo o grupo: “Ninguém vai atirar nele agora, vocês entenderam? Ele não será morto por fuzilamento, pois isto seria misericordioso para ele”.

Publicidade

 

“Ele vai ser decapitado porque ele é kafir (infiel), aliado com o governo e não estava fazendo suas preces. Todo mundo como ele terá o mesmo fim, decapitação”, disse o militante.

 

Um militante armado com um facão, em seguida, pega o homem indefeso pelos cabelos e começa a separar a cabeça do corpo, enquanto o grupo grita “Allahu Akbar… não há outro além de Allah”.
Um relatório de 2014, da Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional, destaca a Síria entre vários países onde assumir o cristianismo pode ser extremamente perigoso, por conta de terroristas e extremistas muçulmanos.

 

Publicidade

“Grupos extremistas e organizações terroristas, incluindo a Al-Qaeda e o Estado Islâmico, também estão perpetrando flagrantes violações da liberdade religiosa. Eles defendem a violência e a criação de um Estado islâmico, sem espaço para a diversidade, e realizam ataques religiosamente motivados e massacres contra [as minorias compostas por] alauitas (denominação islâmica), xiitas, cristãos e outros civis”, explicou o documento em destacar as condições na Síria.

 

“O relatório da ONG que vários grupos de oposição anti-regime implementaram tribunais Xaria (de direito islâmico) nas áreas que eles controlam. Recentemente o grupo militante EIIL, uma organização terrorista não alinhada com a oposição reconhecida internacionalmente, anunciou que os cerca de 3 mil cristãos na província de Raqqa devem ou encarar a morte , converter-se ao Islã, ou ser tratado como dhimmis (cidadãos não-muçulmanos de um estado islâmico) que devem pagar um imposto para a sua ‘proteção’ e obedecer sérias restrições em suas práticas religiosas”, continuou.

 

O relatório observou também que o bispo Boulos Yazigi, da Igreja Ortodoxa Grega, e o bispo John Ibrahim, da Igreja Ortodoxa Assíria ,ainda estão desaparecidos desde que foram sequestrados por desconhecidos na província do Norte de Aleppo, em abril de 2013.

 

Publicidade

Cerca de treze monjas e três trabalhadores de um mosteiro ortodoxo grego na aldeia cristã de Maaloula, que foram sequestrados pela Frente al-nustra no final de novembro de 2013, foram finalmente libertados em 09 de março de 2014.

 

O Al-Nusra assumiu Maaloula em setembro de 2013 e os seus combatentes teriam atacado lares cristãos, matando pelo menos uma dúzia de pessoas, e queimando uma igreja. Os remanescentes foram forçados a se converter ao Islã, segundo o relatório.

 

Christian Post

 

Fundado em 13 de junho de 2006 pelo publicitário Leonardo César, o Gospelminas.com é um site de conteúdo cristão 100% interdenominacional, que oferece aos seus usuários, entretenimento, notícias, entrevistas exclusivas e informações e serviços com qualidade, sendo destaque neste segmento em Belo Horizonte.

Destaques do Mês