Conecte-se conosco

Brasil

“Minha fé em Deus me fez vencer”, diz piloto que sobreviveu um mês em mata após queda de avião

Publicado

em

Antônio Sena sorri após ser resgatado em área isolada de mata no Pará – Foto: Marcelo Seabra/Ag. Pará/Divulgação

O piloto Antônio Sena, de 36 anos, é considerado um milagre pela família e amigos. Ele ficou 38 dias desaparecido após um pouso forçado em uma região de mata próximo à divisa do Pará com o Amapá.

Publicidade

No dia 28 de janeiro, após decolar do município de Alenquer, no Pará, para uma área de garimpo em Almeirim, o piloto e a aeronave não deram mais sinal. O avião teve uma pane e o piloto precisou fazer um pouso forçado no meio da floresta.

Durante os 36 dias na mata, Antônio Sena, mais conhecido como Toninho, afirma que passou por frio, bebeu água da chuva, passou fome e até aprendeu a se alimentar com os macacos que ele via. Mas, nunca desistiu de buscar saída para voltar para casa e rever a família. Ele foi resgatado no dia 6 de março.

Publicidade

Os restos da aeronave na mata – Imagem: Reprodução/Instagram

RELATO

“Então ele (o avião) entrou e eu bati nos açaizeiros e ele (o avião) entrou de bico no igarapé certinho. Ele está de cara no igarapé. Como é tudo muito rápido, eu só lembro de conseguir sair do cockpit e minha mochila estava jogada de lado, peguei minha mochila, um saco de pão, algumas coisas e me afastei da aeronave, que tinha muito óleo diesel. Aí peguei uma corda e o que pude pegar que tinha na aeronave e que fosse me ajudar no meio do mato. Não demorou muito e a aeronave começou a pegar fogo. Ela está queimada. Uma parte está queimada”, recordou Antônio Sena.

O piloto paraense disse ainda que marcou pelo GPS a localização da queda da aeronave em que estava.

Publicidade

“Ainda fiquei uma semana lá. Eu ouvia aeronaves passarem um pouco longe, nenhuma muito próximo. Passada uma semana que vi que demorou e mudou a frequência de aeronaves entendi que não viriam mais”, relatou Antônio Sena ao comentar o momento em que decidiu buscar ajuda.

Durante esse período, buscas foram feitas por equipes especializadas, órgãos de segurança e também pela Força Aérea Brasileira (FAB), mas nada havia sido encontrado. No entanto, a família nunca perdeu as esperanças de encontrar Toninho com vida.

Após muito tempo andando na mata e sobrevivendo com alimentos encontrados na floresta e água da chuva, ele conseguiu encontrar um grupo coletor de castanha e pediu ajuda. Depois de 36 dias desaparecido, o piloto foi resgatado em uma área isolada no município de Almeirim, próximo à divisa com o estado do Amapá.

O piloto Antônio Sena em um forte abraço a integrante do Grupamento Aéreo de Segurança Pública, que o levou de volta para casa – Imagem: Reprodução

REENCONTRO COM O LUGAR DO ACIDENTE

Uma semana após ser resgatado, Antônio fez um voo com amigos e familiares, e conseguiu encontrar os destroços do avião em meio a mata fechada.

Publicidade

“Que emoção voltar nesse lugar. Tantas coisas passam na cabeça. Os momentos da queda, ver a imensidão da floresta de cima, lembrar os momentos lá embaixo e ver o tamanho do desafio. Mas meu amor pela minha família e minha fé em Deus foram maiores e nos fizeram vencer”, disse ele à TV Tapajós.

Nesta semana, ele também compartilhou uma foto de uma família que o ajudou antes do resgate – Imagem: Reprodução/Instagram

 

 

Destaques do Mês