Conecte-se conosco

Brasil

Revista elege Kaká o “Rei do Brasil”

Publicado

em

Foto: Getty Images

Em entrevista, fala sobre a fama de bom-moço, religião e sexo.

Bem-nascido, bem casado e bem na fita, Ricardo Izecson dos Santos Leite, o Kaká, é a capa da RG Vogue de março. A revista, que neste mês é dedicada aos 200 anos da chegada da família real no Brasil, elege o jogador do Milan como o “Rei Do Brasil”.

E não é à toa. “Il Bambino d’ Oro” – segundo os fãs italianos – foi eleito pela Fifa o melhor jogador do mundo. Na entrevista, fala sobre a fama de bom-moço, religião e sexo – já que sua decisão de casar virgem se transformou em uma polêmica discussão. “Casar virgem foi uma escolha. Cada cidadão tem o livre-arbítrio para fazer as suas. Fiz as minhas e assumo, mas convivo bem com o machismo da torcida. Nunca sofri preconceitos no meio do futebol por ser como eu sou. Até por que existem muitos jogadores que também cultivam valores familiares. Não são todos que são mulherengos e querem sair por aí pegando todas as mulheres. O sexo é mais prazeroso quando feito com amor.”

Amigo de Giorgio Armani e modelo exclusivo da marca há quatro anos, Kaká já foi contratado por empresas como Adidas, Ambev, LG e Gilette. “O Kaká encarna o meu ideal de campeão, não só por suas qualidades físicas, mas também por suas qualidades morais”, declarou o estilista. Para Armani os jogadores de futebol são, atualmente, os líderes do estilo. “Ao contrário das estrelas de cinema e dos cantores, a quem eles se juntam como ícones da moda, os jogadores têm que mostrar uma combinação de disciplina mental e física que os faz genuinamente heróicos”.

Sua fé evangélica é conhecida de todos. Afinal, Kaká faz questão de falar de Deus nas suas entrevistas. Antes de começar a jogar profissionalmente pelo São Paulo, quase ficou paralítico após um acidente em uma piscina. Até hoje, considera o episódio um grande milagre divino e não dá atenção às críticas que recebe pela sua religião. “Eu não sou um fanático religioso, nem doei meu prêmio de melhor jogador para a Renascer. Fiz uma oferta para Deus em agradecimento a uma graça alcançada. Deixei na igreja porque é ali que eu vou orar e pedir a Ele sua proteção e ajuda. Na minha casa aquele prêmio seria apenas um objeto de decoração”.

Em abril, Kaká será pai de um menino. Todo feliz, acompanha cada detalhe da gestação ao lado da esposa, Carolina Celico. E como Kaká resume a si mesmo? “Sou uma pessoa tímida. Um homem que cultiva os valores da família e as coisas que aprendi na minha infância como integridade, sinceridade, solidariedade e amizade. Sou um defensor dos valores bíblicos”, diz.

Fonte: Bem Paraná

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Destaques do Mês