Conecte-se conosco

Mundo

Atriz cristã é demitida após expressar em uma rede social sua visão sobre homossexualidade

Publicado

em

Seyi Omooba em uma foto promocional para uma peça Spring Awakening no Hope Mill Theatre em Manchester. Foto: Michael Wharley

Uma atriz cristã que perdeu seu papel principal na produção teatral de The Color Purple depois de dizer que a homossexualidade não era “certa”, disse que planeja processar tanto o teatro quanto seus ex-agentes.

Publicidade

Seyi Omooba perdeu o papel principal de Celie em Leicester Curve e na coprodução de 2019 do premiado musical The Color Purple em Birmingham Hippodrome em um post no Facebook de 2014 em que ela disse não acreditar que as pessoas pudessem “nascer gays”. 

– Não acredito que a prática homossexual seja certa – Escreveu ela no Facebook.

Publicidade

O Teatro Curva de Leicester a dispensou do cargo, alegando que o post era “profundamente ofensivo para a comunidade LGBTQ”. 

Seyi deu início a um processo judicial contra o teatro e seus agentes por sua demissão. Ela acredita que foi expulsa de sua profissão.

– Em todas as minhas redes sociais, sempre posto coisas sobre Deus ou as escrituras. Eles sabiam que eu era cristão e conheciam a minha postura sobre o casamento, sobre a minha fé, sobre Deus … sobre muitas coisas diferentes que estão na Bíblia – Explicou ela em um vídeo no YouTube.

Publicidade

– Ainda não consigo acreditar hoje, houve uma grande oportunidade – algo que eu nunca pensei que jamais alcançaria – e lembro-me do diretor de elenco me dizendo ‘tenha muito cuidado com aonde você vai a seguir porque você tem uma talento’ – Disse ela.

‘Pega de surpresa’

Omooba disse que ficou chocada ao descobrir que uma referência da Bíblia postada anos atrás poderia ter sua carreira comprometida.

– Fiquei bastante surpreso, pensei ‘uau, as pessoas realmente acham que eu os odeio?’ As pessoas estavam me chamando de ‘homofóbica’ e então comecei a receber ligações dos produtores dizendo algo como eu deveria cancelar a declaração ou o que postei, ou pedir desculpas pelo que postei – Disse Omooba.

Omooba afirma que, além de ter sido descartada pelo teatro, ela também foi abandonada por seu agente devido ao incidente.

– Eu não achei que chegaria tão longe, em termos de rescisão, em termos de perder um agente. Tenho tentado enviar e-mails para agentes, tentando conseguir trabalho e simplesmente não tenho resposta. Não achei que fosse chegar a isso, mas agora aconteceu e eu preciso lidar com isso – Finalizou a atriz.

Publicidade

Apoio de um importante crítico

Omooba deu início a um processo judicial contra o teatro e seus agentes por sua demissão e garantiu o apoio de Lloyd Evans, crítico de teatro da revista‘Spectator’, que afirmou em depoimento como testemunha.

– Não é importante para um ator concordar com os pontos de vista éticos ou os sentimentos de um personagem de uma peça. Se isso fosse necessário, a arte do drama não existiria, e muitas peças que consideramos clássicas seriam impossíveis de encenar – Afirmou ele.

Mas o depoimento dele e do teólogo Dr. Martin Parsons, chamando o post no Facebook de “expressão justa e razoável das crenças cristãs”, foram considerados inadmissíveis como evidência em audiências anteriores.

Omooba contestou essa decisão no ‘Tribunal de Apelações Trabalhistas’ na última quinta-feira (19).

Assista o que a atriz disse sobre o caso

Destaques do Mês