Homem paralisado é batizado nas águas com ajuda de médicos, familiares e amigos

Benjamin Pratt ficou totalmente paralisado após ser atingindo por um carro quando tinha 14 anos

Benjamin Pratt sendo levado por amigos para ser batizado nas águas. (Foto: Reprodução / The Jackson Sun)

Depois que foi vítima de um atropelamento no desvio da rodovia 45 em Humboldt (Tennessee) há 15 anos atrás; Benjamin Pratt está paralisado desde que tinha seus 14 anos de idade. Hoje, Benjamin tem 29 anos e está recebendo cuidados de sua mãe, Sherry Pratt. Juntos desenvolveram um método de se comunicar com o piscar dos olhos. Pois o jovem tem pouco controle sobre os músculos abaixo do pescoço desde o acidente.

Publicidade

“Pude conhecê-lo e a Sherry nos últimos 15 anos e observar a história de como ela voltou à igreja e incluiu Benjamin em sua caminhada cristã”; disse Frank McMeen, presidente da West Tennessee Healthcare Foundation. O local onde se criou um fundo para o jovem e suas despesas médicas.

Benjamin já desejava passar pelo batismo nas águas há muito tempo. Por isso, sua mãe fez todo o possível para que isso pudesse acontecer. Mas não tinha certeza se conseguiria e mesmo assim resolveu tentar. Então ela perguntou a McMeen e Kea (o pastor) sobre como poderia se tornar possível a vontade do filho.

Publicidade

Pois por causa de sua paralisia, Benjamin precisa de ajuda para respirar. Assim sendo, tem um tubo traqueal conectado a ele. Então esse foi o principal obstáculo para a noção de ele ficar debaixo d’água por alguns segundos.

“Eu era totalmente a favor”, disse Kea. “Se pudéssemos fazer de maneira segura para Benjamin.”

Dessa forma, McMeen conversou com os médicos da West Tennessee Healthcare para ver se a ideia seria viável. Foi então que o diretor do EMS e a diretora do departamento de cuidados respiratórios do hospital entraram em ação. Ambos pensaram como tornar possível o desejo do jovem e mantê-lo seguro e estar pronto se algo acontecesse.

Publicidade

O batismo nas águas

“Não há palavras. Esperamos um pouco e Ben ficou emocionado. Acho que ele não dormiu por uma semana”, disse a mãe.

Tisdale e Spencer eram dois dos profissionais de saúde que rolaram a maca com Benjamin pela rampa para dentro da piscina, no The LIFT Wellness Center em Downtown Jackson.

Quatro profissionais de saúde estavam na piscina junto com o pastor, Randy Kea, da Igreja de Cristo de Humboldt.

O pastor disse breves palavras sobre a representação visual da morte de um cristão nascido de novo da vida de pecado. E assim também da ressurreição espiritual para uma nova vida, como o exemplo de Jesus no início de Seu ministério.

Os quatro profissionais de saúde, então, mergulharam Benjamin na água. Entre muitos familiares de Benjamin e amigos da igreja presentes; houve alguns segundos de silêncio nervoso em torno do som da breve imersão de Benjamin e saindo da água. O silêncio foi quebrado quando um dos profissionais de saúde levantou o polegar e disse que estava sorrindo. As pessoas ao redor davam uma salva de palmas a Benjamin.

Publicidade

“Eu não estava nem um pouco nervoso naquele momento”, disse Spencer enquanto as lágrimas brotavam de seus olhos minutos após o evento. “Ele sorriu para nós bem antes de abaixá-lo e ainda estava sorrindo quando o trouxemos de volta”.

Acrescentou: “Eu já tinha certeza de que ele queria isso, mas isso confirmou ainda mais e fiquei feliz por ser uma pequena parte disso”.

Randy Kea disse que é o batismo mais incomum do qual ele já fez parte.

“Tenho feito isso há mais de 40 anos e posso dizer que nunca fiz um batismo como este, e tudo bem”, disse Kea. “Benjamin expressou o desejo de fazer isso porque ele é um crente, e estou feliz que isso tenha funcionado para ele”.

 

Publicidade

 

 


Leia também:

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.