Conecte-se conosco

Gospel

Pastor Márcio Poncio revela ser dono de fábrica de cigarros “O que é permitido, posso fazer”

Publicado

em

Márcio Pôncio e Saulo Pôncio – Reprodução/Instagram

O pastor da Igreja Pentecostal Anabatista, Márcio Poncio, concedeu uma entrevista ao jornalista Leo Dias e falou sobre algumas polêmicas envolvendo ele e sua família. Na entrevista, o líder religioso revelou, por exemplo, que é dono de uma fábrica de cigarros, e apesar de ser criticado por boa parte dos evangélicos, Poncio diz não se arrepender e deu sua explicação:

“Não sinto culpa por isso. Conversava com meu pastor e ele disse que eu não podia fazer o que a lei não permite que você faça. O que é permitido, posso fazer. Se eu não fabricar, se não trabalhar nesse ramo, alguém vai fazer. Sei que usufruo disso positivamente, faço com que os frutos sejam bons. Se eu não estiver ali, os malvados vão estar e vão promover maldade. Sou bem tranquilo com isso. Cigarro faz mal, não vou defender, mas tem tantas coisas que sabemos que faz mal e as pessoas fazem’, disse o pastor ao colunista Leo Dia.

Segundo o pastor, ele começou a trabalhar na fábrica de cigarros porque era uma oportunidade dada por Deus. Além disso, ele conta que foi muito criticado quando trabalhava na fábrica por ser cristão, inclusive chegou a sofrer bullying. Mas, o religioso disse que acreditou até o fim que aquele era o emprego que Deus havia lhe dado. Assim, ele se tornou, mais tarde, dono da mesma.

Publicidade

“Estava na Igreja e Deus me disse que estaria me abrindo uma porta de emprego naquela semana. E consegui um emprego, aos 18 anos, em uma fábrica de cigarros. Trabalhava como peão, com um garfo na mão, abastecendo uma máquina”, lembra.

“Sofri bullying, as pessoas falavam que eu trabalhava com o diabo, que aquilo não era de Deus, mas como Deus tinha falado que abriria uma porta para mim, fui ficando e fazendo meu melhor. As pessoas me questionavam sobre como eu era crente e trabalhava lá. Fui crescendo ali, passei para parte de vendas, até me tornar dono de uma fábrica de cigarros”, disse o pastor que é vice-presidente da Igreja Pentecostal Anabatista.

Filho de um ‘Pai de Santo’ e de uma diarista, Márcio Poncio disse ao jornalista que, por viver uma vida de alto luxo atualmente, não considera um pecado. Ele veio de uma família bastante pobre no Rio de Janeiro. Ele conta que seus filhos, Saulo Poncio e Sarah, vivem de redes sociais, e inclusive culpa os dois pelas polêmicas sobre a vida de luxo na família. Além disso, revelou que é bem tranquilo com relação a esse assunto.

Publicidade

“Quem gerou essa repercussão na nossa vida foi o Saulo, que gostava de desfilar à noite com carros, roupa e relógios caros. Eu sou bem tranquilo, mas meus filhos gostam de viver através das redes sociais. Dei uma distribuidora de cigarros para Sarah e ela não quis. Coloquei Saulo na faculdade de medicina. Eles largaram tudo para viver nas redes sociais”, disse ele.

Foto: Reprodução

“Cada um deles aqui em casa ganhava mais de R$ 300 mil por mês com isso. Mas Saulo fechava um ‘publi’ de R$ 80 mil para ganhar mês que vem, ele já ia para o shopping e gastava 80 mil. Gastava tudo que recebia e fazia o ‘showman’ e com isso acabamos virando a família ostentação. Mas eu sou muito contido”, disse o pastor.

Assista a entrevista completa abaixo:

 

Publicidade

Editor-chefe do Gospel Minas. Cristão, jornalista e empreendedor de BH/MG. Amante da arte, comunicação e jornalismo. Pronto para servir o povo cristão com excelência. Contato: (31) 99583-5239 - [email protected]

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques do Mês