Conecte-se conosco

9 minutos no céu; mulher testemunha encontro com Deus após ‘morrer’ durante cirurgia

Publicado

em

Crystal McVeigh – Imagem: Reprodução/CBN

Uma mulher que morreu durante uma cirurgia está contando seu grande testemunho. Ela revela que foi para o céu e encontrou Deus no período em que foi considerada morta. Hoje, ela compartilha o encontro poderoso que teve com Deus e que mudou totalmente sua vida.

Crystal McVeigh deu uma entrevista ao portal CBN.com onde relatou sua experiência com Deus. Ela iniciou contando que foi abusada na infância, aos 3 anos de idade, o que a fez se distanciar de Deus.

No entanto, para a sua alegria, Jesus o encontrou quando ela tinha 8 anos, logo, ela aceitou como seu Único Senhor. Ela viu uma grande oportunidade de se livrar de toda a culpa e vergonha de ser molestada.

Publicidade

Mas, ela continuou sendo abusada até completar seus 12 anos. Como resultado, ele voltou a duvidar do amor de Deus por ela, porque Ele não a salvou, ou ela pensou que Deus simplesmente não existia.

Segundo o portal CBN.News, para preencher o vazio e o vazio que ela sentia, Crystal recorreu às drogas e ao álcool. Aos 21 anos, ela se tornou uma mãe divorciada com dois filhos. Aos 28, ela se casou novamente e teve gêmeos.

Dez meses depois, após dar à luz gêmeos, Crystal teve complicações em sua saúde, o que precisou ser internada e passar por uma cirurgia. Durante o procedimento cirúrgico, ela foi dada como morta e os médicos tentaram ressuscitá-la.

Publicidade

NOVE MINUTOS NO CÉU

Mas, enquanto a equipe médica tentava reanimá-la, Crystal disse que ela morreu e foi para o céu. Ela se lembra de ter dito à mãe que a amava e morreu. Além disso, tinha plena consciência do fato de que havia morrido.

“Eu me senti muito calma e em paz. E eu me lembro de abrir meus olhos e ver minha mãe sentada na cadeira ao pé da minha cama. E eu disse a ela que a amava”, lembra.

“Uma luz veio até mim como se eu estivesse no meio de um túnel e continuou por toda a eternidade”, lembra ela. “Lembro-me de estar tão em paz e tão banhada nesta luz, neste amor”, revela.

Enquanto a equipe trabalhava para reanimá-la, Crystal diz que ela estava no céu.

“A primeira coisa que me lembro de ter percebido é que ainda era eu mesma. E ainda era eu que acabara de dizer à minha mãe que a amava e morri. E eu estava muito ciente do fato de que acabara de morrer. Mas eu também era o eu que existia desde o momento em que Deus me criou. A luz veio até mim como se eu estivesse no meio de um túnel. No entanto, continuou por toda a eternidade. Lembro-me de estar tão em paz e tão banhado nesta luz e neste amor”, disse.

NA PRESENÇA DE DEUS

Ela sabia que estava na presença de Deus. “Eu não vi um rosto. Eu não vi nenhuma característica além desta bela luz. E palavras como ‘incrível’, ‘perfeito’ e ‘lindo’ são drasticamente insuficientes. Eu não conseguia o suficiente d’Ele. Não conseguia respirar d’Ele o suficiente. Além disso, não conseguia chegar perto o suficiente da luz, e a luz estava em cima de mim”, lembra.

Publicidade

Então Crystal diz que tentou fazer uma pergunta a Deus. Crystal diz: “Eu queria saber por que Ele não me amava. Ou porque Ele permite que coisas ruins aconteçam. No entanto, quando fiquei na frente Dele e O encarei, caí de joelhos e levantei as mãos, a pergunta que lhe fiz foi: ‘Por que não fiz mais por você? Porque em um instante, Ele revelou Seu verdadeiro eu para mim, que é o amor. Nunca tinha adorado a Deus de verdade em toda a minha vida. Mas eu caí na frente dele e o adorei. E enquanto eu estava lá em adoração em reverência a este Criador, lembro-me de dizer: ‘Eu poderia te adorar por toda a eternidade’”, disse.

Crystal viajou com Deus por um túnel em direção aos portões do céu. Ela notou uma criança pequena à sua frente.

“Ela usava um boné na cabeça e uma pequena cesta branca na mão. Eu a observei pegar sua cesta e mergulhar na luz. Ela o pegaria e depois jogaria fora a luz como se fosse água. E a luz cairia em cascata de sua cesta e ela jogaria a cabeça para trás, e ela ria. Cada vez que ela ria, que ela se movia, meu espírito começava a inchar, como se fosse um balão de amor”, conta dizendo que Deus havia revelado a ela que ela se via aos três anos de idade.

“Ele me permitiu saber que Ele me permitiu olhar através de Seus olhos e ver a verdade. E a verdade me libertou”, conta.

DE VOLTA AO HOSPITAL

Todas as dúvidas de Crystal sobre a existência de Deus e Seu amor por ela desapareceu. Então Crystal diz que ouviu sua mãe chamando seu nome.

E eu disse: ‘Posso dizer a ela que estou bem?’ “E Ele disse: ‘A escolha é sua’. Eu me afastei desta luz para ir e descobrir de onde sua voz estava vindo. Quando me virei, Ele disse: ‘Diga a eles o que você consegue se lembrar’. Lembro-me de ligar de volta: ‘Vou me lembrar de tudo e já volto’. Eu olhei para baixo através do chão deste túnel do céu, e era como se eu estivesse olhando para um milhão de diamantes cintilantes. No instante em que notei aquelas substâncias parecidas com diamantes, eu estava de volta ao meu corpo”, conta.

Crystal acordou no hospital, cercada pela equipe médica e sua mãe estava chorando ao seu lado. Crystal deixou o hospital 8 dias depois e disse que saiu de lá uma pessoa diferente.

Publicidade

“A pessoa que morreu naquele quarto de hospital não era a mesma pessoa que voltou de tantas maneiras diferentes. Mas a diferença é que sei que existe um Deus que nos ama. Eu sei que existe um Pai que realmente está nos ouvindo, que realmente está nos segurando”, disse.

TESTEMUNHO EM LIVRO

Crystal escreveu sobre sua jornada em seu livro mais vendido do NY Times, chamado “Acordando no Paraíso”.

“Simplesmente não importa quem somos, onde estivemos, o que foi feito por nós, o que fizemos; (mas) que Seu amor é tão vasto e tão grande que abrange tudo. E que temos esse amor, não por qualquer coisa que tenhamos feito para merecê-lo, mas, porque Ele nos considera dignos e, porque nos dá a escolha de escolhê-Lo”, completou ela.

Crystal McVeigh com seus dois filhos – Imagem: Reprodução/CBN

 

Destaques do Mês