“Jesus me deu força”, diz sargento que atendeu ocorrência de acidente que matou a própria filha

O PM atendeu ocorrência de acidente de trânsito na tarde de sábado (28), e no local descobriu que uma das vítimas era a filha dele, de 19anos, e o namorado dela, de 21, que também morreu no acidente

Sargento da PM Severino Góis com a filha Gabriella, de 19 anos, que morreu em um acidente de moto neste sábado (28) em Macaíba — Foto: Arquivo da família

Um sargento da Polícia Militar do Rio Grande do Norte se apegou a fé em Deus segundos depois que passou pela pior experiência da vida, após atender uma ocorrência de acidente no último sábado (28/11), na cidade de Macaíba, na região Metropolitana de Natal. Ao checar a ocorrência, o militar descobriu que uma das vítimas era sua filha, que morreu no acidente.

Publicidade

O sargento Severino Góis, de 54 anos, teve a surpresa desagradável de atender a ocorrência que culminou na morte da filha Gabriela Nascimento de Góis, de 19 anos. A jovem estava acompanhada do namorado, que também morreu no acidente de carro. Ele conta que teve que pedir muita força a Deus quando viu que era ela.

– Quando eu cheguei no local eu vi que tinha uma guarnição da PRF. Aí eu pensei: ‘esse acidente não foi na estrada de barro, foi aqui na BR. Isso é com a PRF. Mas vamos encostar aqui ao lado’. Aí eu encostei a viatura com a minha equipe. Ao chegar no local, eu vi a moto toda destruída. A pancada foi violenta. Aí eu olhei, por trás da moto, e vi um capacete rosa. O capacete que era da minha filha. Eu olhei e disse ‘esse capacete eu conheço, é da minha filha’. Aí o rapaz veio para perto de mim e disse ‘calma, sargento Góis. Foi Gabi’ – Contou o sargento ao InterTV Cabugi.

Publicidade

“Nessa hora Jesus me deu força”

Logo em seguida, Severino sentiu que Jesus deu força para suportar aquele momento trágico. E detalhou como viu a filha morta naquele acidente.

– Nessa hora Jesus me deu força, me deu coragem, e eu me desloquei até o carro. Chegando no lado do passageiro eu visualizei o meu genro. De costas, já dentro das ferragens. E eu vi os pés dela. Então eu corri, arrodeei pelo lado do carro e abri a porta. Quando eu abri a porta, minha filha estava deitada como se estivesse dormindo. Naquele momento eu abri minha mente para Deus e disse ‘Senhor, me dá forças. Porque eu sei que minha filha não está mais comigo, nem meu genro. Mas o Senhor vai me dar forças – Conta.

Ele conta que ficou no local do acidente até a chegada do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP). O corpo de João Vitor foi velado na Igreja Adventista, em Macaíba. Já o corpo de Gabriella foi velado na casa da família dela, que fica na marginal da BR-226, onde o acidente aconteceu – ambos neste domingo (29/11).

Publicidade

O acidente fatal

Gabriella e o namorado João Vitor Lima da Silva, de 21, trafegavam em uma moto na BR-226, no sentido Natal, quando bateram na lateral de uma caminhonete que iria cruzar a via. Com o impacto, o casal foi arremessado e entrou pela janela do carro. Os dois morreram no local. O motorista da caminhonete abandonou o veículo e fugiu do local.

Quando a polícia chegou ao local para atender a ocorrência, um dos policiais percebeu que uma das vítimas do acidente era a filha dele. No momento o sargento ficou muito abalado e não quis falar com a imprensa, mas em entrevista à Inter TV Cabugi, no dia seguinte, ele contou que Gabriella queria ser policial rodoviária federal e que estava estudando para realizar esse sonho.

– Ela era uma menina estudiosa. Semana passada mesmo ela me disse que ia me dar muito orgulho, que ia ser policial rodoviária federal. Mas não deu tempo – Lamentou.

 

 


Leia também:

Publicidade
COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.