Conecte-se conosco

Brasil

No dia em que faria 6 anos, Isabella é homenageada por colegas de escola

Publicado

em

Foto: G1

Na escola onde estudou, alunos devem fazer uma oração para Isabella. Pai e madrasta da menina prestam novo depoimento à polícia.

A menina Isabella Nardoni, que morreu após ser jogada na noite do dia 29 de março do 6º andar de um prédio na Zona Norte da capital, completaria seis anos de idade nesta sexta-feira (18). É também na data de hoje que o pai e a madrasta da criança prestam novo depoimento à polícia, uma semana após terem sido soltos ante determinação judicial.

Discretos, parentes de Ana Carolina de Oliveira, mãe de Isabella, preferiram não se manifestar sobre o aniversário. Na escola Cantinho da Alegria, onde Isabella estudou em 2005 e 2006, os professores e alunos devem homenagear a menina com uma oração.

“Uma menina que era amiguinha da Isabella perguntou se teria um bolo para cantar Parabéns para a Isabella. A aluna disse: Ela vai ver lá do céu se a gente fizesse um bolo. Então decidimos fazer uma oraçãozinha”, disse a diretora da escola, Elenice dos Santos Romeu.

Além da oração, as crianças também devem cantar a música “Amar como Jesus amou”, do Padre Zezinho, segundo informou Elenice, que também foi profesora da mãe de Isabella. A diretora lembrou que Isabella era uma criança bastante participativa na escola. “Ela gostava muito de ballet. Participava bem das atividades. Era difícil ela brigar com alguém.”

Os desdobramentos das investigações do caso Isabella ganham eco até nas salas de aula. A diretora conta que já ouviu de uma das crianças – a escola tem alunos até seis anos – palpites e, ao mesmo tempo temores, sobre o desfecho do caso Isabella.

Laudos

Laudo do Instituto de Criminalística, ao qual a TV Globo teve acesso, descarta a presença de um terceiro suspeito no apartamento de onde a menina foi arremessada. A polícia já terminou quase toda a investigação e concluiu: a menina foi asfixiada antes da queda. A expectativa é que os laudos sejam apresentados nesta sexta-feira.

A perícia também constatou que a pegada no lençol era do chinelo de Alexandre Nardoni, pai da garota. Foram analisados mais de 40 pares de calçados apreendidos no apartamento.

Ainda de acordo com os laudos, a menina sofreu um processo de esganadura dentro do apartamento, o que ocasionou uma parada respiratória. Depois, Isabella foi jogada.

Segundo a perícia, o rosto de Isabella foi limpado antes de ela ser jogada pela janela. Para isso, o agressor usou uma fralda de pano e uma toalha de rosto. No apartamento foram apreendidos os dois objetos com manchas de sangue e um exame de DNA confirmou que era da menina. A queda ocasionou um politraumatismo, com lesões nos órgãos internos.

Fonte: G1

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Destaques do Mês