Após 12 anos na prisão, Deus falou com um homem através de estação de rádio

CJ Blair ouviu Deus usar palavras de uma voz masculina na estação de rádio que o fez consequentemente mudar de vida

CJ Blair ouviu Deus usar palavras de uma voz masculina na estação de rádio que o fez consequentemente mudar de vida – Foto: Reprodução/Instagram

Tudo o que CJ Blair queria era ganhar dinheiro suficiente para que sua mãe. Isso para que ela pudesse parar de vender seu corpo a homens abusivos nas ruas de Washington. Pois quando ofereciam a CJ oportunidade para ganhar de $ 3000 até $ 5000 dólares por noite. Então vinha em sua mente o fato de sua mãe ser capaz de parar de vender o corpo. Como também parar ser espancada por homens.

Publicidade

Por ter crescido com uma mãe solteira, dessa forma CJ só conhecia a figura paterna de um cafetão. Apenas sua bisavó era cristã, então ele a via orando durante os verões, quando ia visitá-la.

“Minha bisavó acreditava em Deus por tudo, quero dizer, tudo”, lembra ele. “Se fosse dinheiro do aluguel, sei lá, ela acreditou. Eu estava tipo, ‘Uau, essa mulher está falando sério'”.

Publicidade

Em toda a família, CJ Blair era o mais sujeito a se meter em encrencas. Mas a avó sempre falava positivamente dele, ao contrário de outros familiares que o criticavam. “Ela dizia que eu era um homem de Deus”, lembra ele.

Entre o caminho largo e o estreito

Dois caminhos estavam à frente do jovem CJ, a vida selvagem das ruas a que estava habituado ou o caminho do Cristianismo. “Eu estava com medo do Inferno”, ele admite. Mas ele não queria “brincar com Deus”, como ele via, buscar a Deus de uma forma indiferente.

CJ abandonou a escola muito cedo. Aos 13 anos, as autoridades o prenderam por agressão. E assim, nos 12 anos seguintes, ele entrou e saiu da prisão.

Publicidade

Logo após passar um período de 6 anos na prisão por roubo e ferimentos maliciosos; CJ saiu da prisão e decidiu começar uma carreira musical na indústria do hip hop.

“Certa noite, eu estava no estúdio e o engenheiro do estúdio começou a falar sobre Jesus”, diz ele. “Se existe um Jesus e você não O aceitou e você morre, você vai pagar em breve”. Ele lembra que: “Deus começou a lidar comigo naquele ponto”.

Deus falando através de um rádio

Duas semanas depois, depois que fez um grande negócio com drogas, ele estava voltando para casa ouvindo um grupo de rap falar sobre dirigir um carro de platina com a marca da Besta.

“Quando ouvi isso, algo disparou em mim”, lembra ele. “Toda aquela conversa que minha bisavó falava naquela época, quando eu tinha 8, 9 anos, aqui está agora.” Ele sabia que estava indo para o inferno se sua vida não mudasse.

Desse modo, suas mãos saltaram do volante. Pois estava comovido pela repentina compreensão da existência de Deus, e ele exclamou: “Aleluia. Aleluia”.

Então Jesus falou – de forma audível. “CJ”, disse Ele. “Tira isso”.

Publicidade

Como resultado, CJ tirou a fita cassete. Isso mudou de modo automático para rádio. Uma voz masculina veio pelos alto-falantes do carro. E então dizia a voz: “Você sabe o que são milagres?”

“O cara da rádio estava falando comigo – literalmente”, diz CJ. “Mas eu sabia que era Deus”.

CJ presumiu que a intervenção de Deus era uma preparação para que ele morresse naquele momento. Ele estava assustado. “Isso é o que Deus faz com você antes de matá-lo”, pensou CJ. “Ele permite que você saiba que Ele é real”.

“A próxima coisa que sei é que minha mão está agarrando a coca e jogando-a pela janela”, relata ele. “A maconha, os cigarros, tudo que minha mão tocou, joguei pela janela. Lembro-me de dizer a mim mesmo: ‘É melhor que seja Jesus, porque acabei de jogar fora todo esse dinheiro e essas pessoas vão me matar”.

O encontro com Cristo

Ele foi para casa, entrou no porão e orou com fervor pela primeira vez em muitos anos. E entregou seu coração a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, convidando-o a assumir o controle de sua vida. Isso chamou a atenção de sua mãe e ela perguntou o que havia de errado.

“Estou salvo”, respondeu ele.

CJ se livrou de suas armas, começou a ler a Bíblia e até se matriculou em uma faculdade bíblica.

Publicidade

Mas ele se preocupava com o traficante a quem devia o dinheiro das drogas jogadas pela janela. Esse gângster acabou confrontando CJ no momento mais vulnerável, na barbearia. Pois os gângsteres da época eram mortos com frequência em barbearias.

Anteriormente, CJ sempre dissera ao barbeiro para não girá-lo na cadeira porque ela estava de costas para a porta. Enquanto seu cabelo estava sendo cortado, CJ sempre ficava de olho na porta. Ele percebeu que seu tempo acabou.

Mas neste dia, ele não tinha sua arma. O traficante era famoso por ser um assassino implacável. Instintivamente, CJ “pegou a arma”, mas ela não estava lá. Ele percebeu que seu tempo acabou.

O traficante caminhou em direção à ele. E disse:

“Ouvi dizer que você está com Jesus agora. Ore por mim.”

Ele saiu. Uau! Aquela passou perto!

Hoje, CJ é pastor em Washington. Em vez de vender drogas, ele fala de Jesus. “As pessoas precisam ver quem cometeu erros. Eu represento o cara que foi rebelde, que foi para a prisão; o cara que levou um tiro; que fez todas as coisas erradas; mas eu mostro a Sua glória porque a qualquer momento quando há uma palavra do Senhor, tudo isso é inexato em sua vida passada pode mudar”.

 

 


Leia também:

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.