Incêndio danifica parte do Museu de História Natural da UFMG

O fogo se concentrou em uma parte onde ficam as coleções da paleontologia, da arqueologia, da biologia, alguns acervos de zoologia e da entomologia

Crédito: Divulgação/Cobom

Um incêndio na manhã desta segunda-feira (15), danificou parte da estrutura do Museu de História Natural e Jardim Botânico, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) que fica no bairro Horto, na região Leste de Belo Horizonte. Ninguém se feriu. O incêndio começou por volta das 6h30 e destruiu parte do telhado e da edificação. O tradicional Presépio do Pipiripau não foi atingido.

Militares do corpo de bombeiros foram chamados e o incêndio foi contido, mas o trabalho de rescaldo precisou ser lento para preservar o acervo, formado por mais de 260 mil itens, entre peças e coleção científica de plantas e reserva vegetal.

Foto: Divulgação/CBMMG

 

Leia Mais:

+Carreata da Solidariedade reúne 10 mil carros e arrecada 100 toneladas de alimentos

+Jovem viraliza cantando gospel na barbearia em que trabalha

+Nova Lima tem cinema drive-in para moradores da cidade e região

 

– A gente não tem muita informação sobre o alcance e as perdas que o incêndio vão ocasionar. O momento é aguardar a ação dos bombeiros. O que foi afetado é uma parte do prédio central da administração, principalmente três salas da reserva técnica onde ficam as coleções que não estão em exposição, afetou uma parte muito importante do museu mas a gente só vai ter a dimensão depois que a perícia acontecer – Explicou a professora Mariana Lacerda, diretora do museu.

A Universidade informou que deve ser criada uma comissão de professores e especialistas para avaliar prejuízos.

O Museu da História e Natureza convivem nos 600 mil metros quadrados do museu na UFMG. A vegetação de mata Atlântica divide espaço com espécies exóticas e mais de 265 mil itens de diversas áreas do conhecimento. A área atingida pelo fogo vai ser periciada pela a Polícia Federal. Peritos e investigadores vão apurar as causas do incêndio.

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.