Milagre: Bebê que nasceu com menos de 0,5 quilo sai do CTI em MG, após 3 meses

Luca Augusto Marin nasceu com 26 semanas e menos de 0,5 quilo, após mãe passar mal. Ele já está pesando 3,115 quilos e foi transferido para ala de pediatria

Luca Augusto Marin nasceu com 28 dias e menos de 0,5 quilo recebe alta após três meses – Foto: Divulgação/Santa Casa de Poços de Caldas

O pequeno Luca, que nasceu com 26 semanas e com 0,5 quilo, teve alta do Centro de Terapia Intensiva (CTI) nesta quinta-feira (27). Ele estava internado na Santa Casa de Poços de Caldas, no Sul de Minas Gerais, desde maio quando a mãe perdeu todo o líquido.

+ Pastor Everaldo é preso em operação que investiga irregularidades na saúde no Rio

Luca Augusto Marin já está pesando 3,115 quilos e foi transferido para ala de pediatria, onde vai aprender a mamar antes de ser liberado para ir para casa. Ele nasceu no dia 13 de maio com apenas 455 gramas e 29 centímetros, após 26 semanas e três dias de gestação. A mãe dela, Angélica Marin Silva, revela que tinha certeza que “ia vencer essa batalha” e estar com ele nos braços.

– Eu sabia que meu filho ia sair dessa, que a gente ia vencer essa batalha. Eu sempre falei para Deus: ‘o Senhor me deu o Luca e com ele eu vou ficar’. E realmente Deus me deu ele e hoje nós estamos aqui com essa grande vitória, está engordando, graças a deus, está já com 3,115 quilos hoje. É uma benção em nossa vida – Comentou a mãe.

+ Sobrevivente da Covid compartilha testemunho: “Reivindiquei a vitória de Deus na cruz”

A família e toda equipe médica do hospital estão considerando um milagre a recuperação do pequeno. Segundo a mãe, em maio, ela sentiu uma dor na nuca e procurou o hospital. Os médicos disseram a ela para fazer o ultrassom e viram que eu estava com 40% de líquido a menos, sendo que duas semanas antes estava tudo normal. Eles a internaram para tentar repor o líquido, pediram para fazer repouso e dois dias depois viram que não tinha mais nada de líquido. Ela conta que a partir daí deu o início à uma intensa luta para salvar a vida do bebê.

– Primeiro me falaram que iam induzir o parto e que ele não ia sobreviver. Isso abriu meu chão. Aí o Dr. Daniel Incrocci e o Dr. Macário, que são dois anjos da guarda junto com a Dra. Bárbara, foram ao quarto para explicar o procedimento. Fizeram outro ultrassom, viram que ele estava se movimentando e tinha batimento. Me falaram que eles iam fazer a cesária porque não era nós que íamos decidir a vida do Luca, era Deus. O Dr. Macário falou isso pra mim, eu nunca mais vou esquecer. Eles me levaram para fazer a cesária e o Luca nasceu era 16h50. Eu não o vi, não escutei choro, só vi um monte de gente passando correndo e aquele silêncio. O Dr. Felipe, anestesista, falou para mim assim: ‘nasceu e parece que ele chorou’. Aquilo para mim foi um alívio – Conta a mãe, que só foi ver seu filho no outro dia, já na CTI Neonatal.

Ela continuou:

– Cheguei lá e foi uma alegria, porque ele estava todo espuletinha dentro da incubadora. Pequenininho, mas forte. À partir daí os dias foram uma montanha russa, mas os profissionais da CTI Neo, médicos, enfermeiros, técnicos, o pessoal da limpeza, todos me deram muita força todos os dias, nunca falaram uma palavra para eu desistir. Era um dia de cada vez. Acreditei que ele ia viver desde que ele nasceu, eu falava assim: Deus, se o Senhor me deu o Luca, eu vou ficar com ele. E Deus deixou ele para mim – Se emociona Angélica.

+ Silas Malafaia é processado por Thammy e questiona: “Por que só eu?”

A médica Pediatra, Dra. Bárbara Lusvarghi, explica que, em casos como o dele, de bebês prematuros extremos, que são crianças com menos de 28 de semanas de idade gestacional, sempre há muitas complicações.

– Casos como o do Luca são graves, estes bebês apresentam altas taxas de mortalidade e de morbidade, são internações prolongadas e estes bebês, quando sobrevivem, podem apresentar uma série de complicações. Quando Luca nasceu, pesando 455 gramas, não sabíamos se ele iria resistir. Mas, assim que ele nasceu, ele chorou e mostrou pra gente que queria sobreviver. Aí nós cuidamos dele com todo o carinho nesse período e ele sempre foi muito forte – Explicou.

Segundo menor bebê no hospital

De acordo com o hospital, Luca Augusto Marin é o segundo menor bebê da história a nascer no hospital. No ano passado, uma menina chamada Heloiza nasceu com 23 semanas e cinco dias, com apenas 0,6 quilo e vinte e 28,5 centímetros.

View this post on Instagram

Na última semana, com  98 dias de vida e pesando  2,740 gramas, teve alta da CTI Neonatal para a Pediatria Luca Augusto Marin, segundo menor bebê da história a nascer na Santa Casa de Poços. Luca nasceu no dia 13 de maio com apenas  455g e 29 centímetros, após 26 semanas e três dias de gestação. Agora, ele está sendo cuidado na Pediatria para poder desmamar o resto de oxigênio que ainda precisa, aprender a mamar e, enfim, poder ir para casa.  Luca é considerado um pequeno milagre pela equipe do Hospital. A médica Pediatra, Dra. Bárbara Lusvarghi, explica que, em casos como o dele, de bebês prematuros extremos, que são crianças com menos de 28 de semanas de idade gestacional, sempre há muitas complicações.  “Casos como o do Luca são graves, estes bebês apresentam altas taxas de mortalidade e de morbidade, são internações prolongadas e estes bebês, quando sobrevivem, podem apresentar uma série de complicações. Quando Luca nasceu, pesando 455 gramas, não sabíamos se ele iria resistir. Mas, assim que ele nasceu, ele chorou e mostrou pra gente que queria sobreviver. Aí nós cuidamos dele com todo o carinho nesse período e ele sempre foi muito forte”, explica Dra. Bárbara.

A post shared by Santa Casa de Poços de Caldas (@santacasapocos) on

*G1.

 


Receba as notícias do Gospel Minas no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp: bit.ly/2R9Ign9

Telegram: bit.ly/2CNJQY7


 

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.