Conecte-se conosco

Colunistas

Os óculos que uso

Publicado

em

Mateus 6:22-23: “Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos, todo seu corpo será cheio de luz. Mas se os teus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas. Portanto, se a luz que está dentro de você são trevas, que tremendas trevas são”.

Para pessoas míopes como eu, é muito comum analisar os óculos, as armações e o grau que cada um de meus amigos usam. Pensando nos óculos que uso me deparei com textos teológicos que tratavam de cosmovisão e isso me faz querer te questionar: Você já parou para pensar em como você vê o mundo?

Eu sei bem, muitas vezes, nós não temos tempo sequer de observar o mundo, que dirá pensar sobre o que temos visto. Às vezes a rotina sufoca nossos momentos de reflexão, eu sei, eu sei. Mas é intrigante pensar sobre esse assunto, principalmente quando se conclui que cada um de nós pode ter um olhar distinto sobre a nossa sociedade, sobre família, sobre religião, enfim, sobre tudo o que nos cerca.

Publicidade

Especialmente neste tempo em que existem tantas cosmovisões convivendo com a nossa. Mas afinal, o que é cosmovisão? Para James Sire cosmovisão é um compromisso, uma orientação fundamental do coração, é essa cosmovisão que nos fornece um fundamento para vivermos e existirmos. Ela abrange toda a vida humana, quer seja no âmbito intelectual, social, econômico e religioso.

Me deixe te dar exemplos práticos. Você deve ter alguém em seu convívio, que tem como cosmovisão o relativismo moral. Aquele amigo do trabalho – porque de todo coração, não desejo que seja da igreja, caso seja, precisamos orar para que ele seja convertido! – que sempre que possível jogar a palavra, quase inofensiva “depende!”. Para ele não existe uma única verdade, não existe uma verdade absoluta, então ele afirma que o que é verdade pra você não precisa ser para ele. Uma frase muito repetida por esse nosso amigo?

“Se para você isso é pecado tudo bem, respeito sua opinião, mas para mim não é!”

Publicidade

Você deve estar se perguntando: “Tudo bem, mas o que eu tenho com isso?”

Talvez você não tenha percebido, mas a forma como vemos o mundo interfere totalmente em como nos comportamos nele. Se você é alguém que vive de acordo com uma cosmovisão capitalista, todo o seu dia será em prol de obter mais dinheiro. Provavelmente você encontrou boas desculpas para permanecer no seu individualismo autônomo. Você se cansa buscando satisfazer os maus desejos do seu coração. Mas sabemos que a ganância nunca foi elogiada por Cristo, ao contrário, ele sempre foi contra guardar tesouros na terra.

Ou ainda, você pode ter optado por uma visão hedonista narcisista do mundo e colocado em sua cabeça que tudo e todos à sua volta possuem apenas uma função na vida: satisfazer suas vontades. Esse narcisismo me fez lembrar de uma personagem das Crônicas de Nárnia. Aravis, uma princesa egoísta que passa um bom tempo de sua vida crendo que todos devem lhe servir. A cosmovisão de Aravis é transformada quando Aslam lhe faz despertar, em meio ao deserto o enorme leão crava suas garras nas costas da moça, fazendo-a sofrer. As feridas feitas por Aslam fizeram com que a princesa tenha sua cosmovisão transformada e aquela forte dor e os profundos ferimentos foram uma bênção para ela. Abriu-lhe os olhos, ou melhor, lhe deram novas lentes para enxergar o mundo.

Todos os dias temos a chance de ter a nossa cosmovisão transformada, e nosso Senhor fará o que for preciso para que olhemos o mundo com olhos cristãos. Talvez ele possa nos ferir como fez Aslam a Aravis, tomara que ele não precise nos ferir, tomara possamos aprender pelo amor e não por meio da dor.

Oremos para que Deus transforme nossa cosmovisão, para que possamos ser fiéis tanto no falar, quanto no proceder; e que em todas as coisas tenhamos bons olhos.

Graça e paz.

Publicidade

 

Para maiores informações sobre cosmovisão leia:

James Sire – O universo ao lado;

James White – A mente cristã num mundo sem Deus;

Verdade Absoluta – Nancy Percey

 

Por Bárbara Pita, uma pecadora desfrutando da graça salvífica de Deus. Cristã Batista e pedagoga. Belo Horizontina, amante de bons livros e café. Você pode acompanhá-la em seu Instagram: @barbarelap.

Publicidade

Destaques do Mês