Conecte-se conosco

Brasil

Sara Winter é presa pela PF em investigação sobre atos antidemocráticos

Publicado

em

Foto: Reprodução/Instagram

A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã desta segunda-feira (15), a ativista Sara Winter. Além disso, outros mandados de prisão estão sendo cumpridos em Brasília. As prisões foram autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. Todas as pessoas são investigadas por exercerem atos antidemocráticos.

Winter é líder do grupo 300 do Brasil que apoia o governo do presidente Jair Bolsonaro. Além de Sara, outras cinco pessoas que tiveram prisão autorizada pelo STF, estão ligados ao grupo 300 do Brasil. Segundo a investigação do caso, eles são suspeitos de organizarem e captarem recursos para atos antidemocráticos, e de crimes contra a Lei de Segurança Nacional.

 

Leia Mais:

+Eyshila relembra morte do filho Matheus Oliveira e fala sobre superação

+Em vídeo, Wesley Ros fala sobre racismo e critica vitimismo: “Eu não sou negro, eu sou preto”

+Diante do Trono anuncia programação do Congresso Mulheres e Moças

 

O pedido de prisão foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), no inquérito que apura manifestações de rua antidemocráticas. Os pedidos de prisão foram apresentados na última sexta-feira (12), mas têm duração de cinco dias.

O objetivo das prisões é ouvir os investigados e reunir informações de como funciona o suposto esquema criminoso, diz nota divulgada. Nas redes sociais, o perfil do grupo 300 dos Brasil publicou sobre a prisão da líder.

– Atenção: A Sara Winter acabou de ser presa pela Polícia Federal. Aguardem mais informações aqui no Instagram dos 300 do Brasil – Disse o comunicado e logo seguida os organizadores convocaram uma manifestação a frente da superintendência da PF em Brasília.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Destaques do Mês