Conecte-se conosco

Virologista chinesa que denunciou criação da Covid aceita Jesus

Publicado

em

Li-Meng Yan fez denúncias contra o governo chinês em 2020 – Foto: Reprodução/Fox News

A virologista chinesa Li-Meng Yan ficou conhecida ao redor do mundo após denunciar o governo da China e a Organização Mundial da Saúde (OMS) por acobertarem informações sobre o SARS-CoV-2 e revelar que o vírus foi intencionalmente desenvolvido em laboratório em 2020.

Li-Meng Yan, que tem especialização em imunologia e virologia pela Universidade de Hong Kong, disse em entrevista à revista Charisma News que estava diretamente envolvida com pesquisas sobre o coronavírus juntamente com o Instituto de Virologia de Wuhan — onde, segundo rumores, o vírus teria sido fabricado.

“Recebi informações diretamente do Instituto de Virologia de Wuhan”, contou Yan.

Ao descobrir que o vírus era transmissível de pessoa para pessoa, a pesquisadora diz que tentou alertar seus superiores em dezembro de 2019. Yan revelou que o governo chinês e a OMS sabiam dos riscos do vírus, mas sua pesquisa foi silenciada, o que a forçou a fugir de Hong Kong em abril de 2020.

“Vim para os Estados Unidos não apenas para minha própria proteção pessoal, mas para contar a verdade do vírus ao mundo sozinha”, conta a virologista. Desde então, ela publicou na internet, de forma independente, três artigos científicos chamados “Yan Reports”, onde expôs as evidências genéticas de que o SARS-CoV-2 foi feito em laboratório, em vez da alegação sobre a origem a partir de animais.

Segundo Yan, a ideia era deixar os relatórios como provas “no caso de eu ser ‘desaparecida’ pelo Partido Comunista Chinês.”

Em meio ao turbilhão de suas denúncias, ameaças e acusações de desinformação, Yan teve um encontro com Jesus após dar uma palestra em uma igreja no Havaí.

Depois de finalizar a palestra, a igreja cantou para ela a passagem de Números 6:24-26, que diz: “O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e te conceda graça; o Senhor volte para ti o seu rosto e te dê paz.”

Enquanto o povo cantava e proclamava a bênção de Deus, ela começou a chorar. Sem que a igreja soubesse, esta foi uma resposta à oração de sua avó, antes de ela nascer. Yan nasceu na cidade cristã de Tsingtao, uma ex-colônia alemã conhecida como um grande centro missionário antes da ascensão do comunismo.

Uma das primeiras lembranças de Yan é da pequena e grossa Bíblia chinesa, sempre presente na casa da família, bem como do jeito gentil e compreensivo de sua avó. Por causa da perseguição aos cristãos na China, não se falava de fé, mas enquanto a igreja cantava a bênção, as lembranças vieram à tona e seu rosto foi tomado por lágrimas.

“Fiquei tão emocionada”, diz ela. “Senti tanto o poder de Deus e o amor de Jesus que minha avó me mostrou desde que eu era uma garotinha que, no dia seguinte, confessei o Senhor Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador e fui batizada. Minha vida mudou.”

Embora a China seja totalmente controlada pela ideologia comunista, que promove oficialmente o ateísmo de Estado, Yan é fruto das sementes lançadas por missionários no passado.

“No meio do momento mais difícil, Deus usou tudo isso para responder à oração da minha avó e me levar a Jesus. Minha fé em Cristo me deu uma nova visão, enquanto eu trabalho para espalhar a verdade do que a China fez e continua fazendo para espalhar seu mal para o mundo, mas também para compartilhar meu amor pelo Senhor Jesus Cristo, e como o amor e o poder Dele são os únicos inimigos que o Partido Comunista Chinês não pode derrotar.”

Yan está atualmente trabalhando em um livro sobre sua experiência e está disponível para palestrar em igrejas, escolas e eventos nos Estados Unidos. Ela também está trabalhando para retomar seu trabalho científico, desta vez com a esperança e a visão de usar seus dons para a glória de Deus.

Destaques do Mês