Templos da Igreja Adventista são danificados após explosão no Líbano

Templo adventista de Boucherieh, em Beirute, após a explosão (Foto: Rick McEdward)

Duas igrejas, duas escolas de ensino médio, uma universidade e um centro de aprendizagem que pertencem a Igreja Adventista do Sétimo Dia em uma região denominada União Oriente Médio e África do Norte (UOMAN), sofreram danos logo após a grande explosão na zona portuária em Beirute, capital do Líbano.

+ Justin Bieber e Hailey Baldwin são batizado nas águas

Apesar dos estragos, porém, nenhum funcionário sofreu ferimentos. É o que conta o presidente UOMAN, Rick McEdward.

– Nosso coração está voltado para o povo do Líbano, que já experimentou muitas dificuldades nos últimos meses. Estamos comprometidos em ajudar a fazer o possível para trazer esperança às pessoas durante esse período de dificuldade – Disse Rick.

+ Isaias Saad surpreende e anuncia noivado: “Seremos uma só carne”

O presidente mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Ted N.C. Wilson, também pediu aos membros que se lembrem das pessoas no Líbano em suas orações.

– Eu orei pelos membros da nossa Igreja no Líbano e pelo país. É uma tragédia que aconteceu além dos muitos desafios que eles já enfrentam. Tendo crescido no Oriente Médio e vivido por alguns meses em Beirute, Líbano, meu coração está pesado pelas pessoas daquele país e por sua situação. Por favor, erga o povo precioso do Líbano em oração para que Deus os ajude em tempos de necessidade e que nossa Igreja seja capaz de ajudar as pessoas como Cristo fez, e compartilhe mais prontamente Cristo, Sua justiça, Suas três mensagens angélicas e Sua breve segunda vinda – Disse o presidente.

A explosão em Beirute culminou na morte de mais de 137 pessoas. Mais de cinco mil ficaram feridas e diversos prédios foram destruídos depois das explosões na última terça-feira (04). Dezenas de pessoas seguem desaparecidas, de acordo com o porta-voz Rida Moussaoui.

 

Com informações de Notícias Adventistas.

 


Siga o Gospel Minas no Google News


 

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.