Cláudio Duarte no Conversa com Bial: “Maturidade é o grande segredo no relacionamento”

O pastor participou do "Programa Conversa com Bial", da Rede Globo, na noite de segunda-feira (17) e conversou com o apresentador Pedro Bial

Bial e Pastor Cláudio Duarte – (Imagem: Globoplay)

O pastor Cláudio Duarte participou do “Programa Conversa com Bial”, da Rede Globo, na noite de segunda-feira (17), e conversou com o apresentador Pedro Bial sobre alguns assuntos. O líder evangélico falou sobre família e valores bíblicos, além também de seu ministério pastoral.

+ Idosa de 79 anos copia a Bíblia à mão para amenizar perda do esposo

No início do programa, Cláudio foi perguntado sobre como ele descobriu sua vocação em aconselhar casais durante os relacionamentos. O pastor disse que os seus conselhos são baseados em diversas experiências vividas por ele no decorrer dos seus 28 anos de casamento. O pastor é casado com a também pastora Mary Duarte.

– Meu casamento é o meu grande laboratório e eu acho que as dificuldades que nós enfrentamentos podem ser recicladas. Mas acho que ao viver em diversos lares, me tornei um grande observador e vi muitas crises, muitas dificuldades e acabei tendo essa sensibilidade Disse ele.

+ Kanye West quer criar o ‘Jesus Tok’, versão cristã do TikTok

Cláudio Duarte é conhecido por sua maneira de pregar de forma humorada, o que tem lhe tornado uns dos pastores mais queridos do país e um dos mais admirados na área de família. Ele falou sobre essa forma de pregar.

– O humor e a família são coisas que interessam a todo mundo, seja cristão, ateu, espírita, seja quem for… o assunto família é pertinente a todo mundo e nada melhor que botar um pouquinho de humor para tratar de assuntos tão delicados – Disse ele.

Perguntado sobre o motivo do aumento de divórcios durante a pandemia, o líder religioso fez questão de falar que, na verdade, muitos casais estiveram mais perto do que nunca durante a crise do novo coronavírus.

+ Tio que estuprou e engravidou criança de 10 anos é preso em Minas Gerais

– Isso é só a manifestação de que o sucesso é mais tímido e recatado que o fracasso. Na verdade, ao longo de toda essa situação, eu e pelo menos grande maioria das pessoas com quem converso e conheço ficaram mais próximas, mais íntimas, resgataram seus relacionamentos, descobriram o valor de seus filhos, encontraram tempo para namorar. Só que os bem-sucedidos me parecem ser bem tímidos e não falam muito de seu sucesso – Explicou Cláudio.

Ele continuou falando sobre o assunto:

– Enquanto o fracasso é bem mais barulhento, talvez a dor daqueles que estão vivendo a crise no casamento não precisa de uma pandemia para vivê-la. Ele, por si só, às vezes, já se manifesta como uma. Só que se alguém ganha uma grande importância de dinheiro, não sai dizendo para todo mundo, mas se alguém perdeu uma pequena importância, faz questão de dizer que perdeu. Então, eu penso diferente. Não acho que estamos vivendo uma crise no casamento – Completou.

+ Mulher com Covid-19 volta a respirar após oração: “Sabia que não me deixaria nas trevas”

O pastor disse ainda que muitas vezes o casamento só revela algumas crises já aconteceram no relacionamento e que alguns resolvem suas diferenças e não falam muito sobre o assunto. Já aqueles que continuam infelizes se expressam muito mais.

– O casamento só revelou algumas crises que já existiam, a grande maioria consertou, mas ficou quietinho. Ninguém sai por aí dizendo que tem um mulherão, que tem um maridão, mas muita gente diz aí: ‘minha esposa/marido está com comportamento incorreto’ – Disse ele.

Cláudio Duarte explicou qual seria a solução prática para manter um casamento feliz.

– Acredito que é a maturidade. Criança não pode casar por dois motivos: por não ter maturidade sexual e também por não ter maturidade emocional. Ficar velho é obrigatório, mas amadurecer é opcional. Às vezes vou aconselhar casais de 20 anos de casado, mas que são adolescentes, brigam por coisas insignificantes, transformam coisas pequenas em verdadeiros monstros. Na verdade, quando Jesus foi questionado sobre o divórcio, ele disse que o divórcio só acontece por causa da dureza do coração do homem. E o coração só é duro no peito dos imaturos. Aqueles que amadureceram descobrem que de vez em quando dá para ser feliz, de vez em quando dá para ter razão, as duas coisas ao mesmo tempo não dá para ter… Acho que a maturidade é o grande segredo de um relacionamento duradouro e salutar – Disse o pastor.

O pastor foi questionado quanto ao lugar do sexo no casamento e também se “vale tudo entre quatro paredes. O pastor explicou que neste caso, jamais negociaria seus princípios bíblicos.

– Inevitavelmente, você vai esbarrar com um pastor em nosso diálogo. Tem coisas que eu posso negociar com você, como a minha casa e meu carro. Mas tem coisas que não posso negociar, como os princípios e valores bíblicos que recebi. Então, para mim, sexo tem que ter santidade e conivência. Não pode infringir a lei de Deus, como por exemplo, não fazer sexo em grupo… tem uma série de limitações sobre sexo – Disse ele.

+ “Exercer a função de pai, não a transforma em genitor”, diz pastor Cláudio Duarte sobre Thammy

– O grande desafio de se pregar o Evangelho hoje não é o Evangelho em si. Você deve conhecer um pouco dele e saber que ele é extraordinário. O difícil é conviver com gente que diz ser evangélico, que diz viver segundo os princípios e não negocia valores e acaba negociando. Isso nós vamos ver em todas as esferas, seja ela no ambiente que você vive, no que eu vivo – Disse ele..

– Então eu não negocio os princípios que a Bíblia me deu para nortear. Eu não posso dar garantia nenhuma que vou levar o meu casamento até o fim, mas o máximo que eu puder fazer que ele vá até o fim, eu vou fazer. Eu não garanto a você que em algum momento não vou ser descortês com o meu semelhante, mas o máximo que eu puder fazer para não permitir que isso aconteça, eu vou fazer – Afirmou o pastor Cláudio Duarte.

 


Siga o Gospel Minas no Google News


 

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do Gospel Minas; a responsabilidade é do autor da mensagem.